terça-feira, 22 de agosto de 2017

HORÓSCOPO DO DIA 22 DE AGOSTO DE 2017


Áries 21/03 a 20/04

regente: Marte

Seu foco se volta para hábitos mais saudáveis, neste momento em que Lua e Mercúrio formam conjunção no setor de saúde. Que tal buscar informações que lhe ajudem a promover a saúde? Bom momento para rever suas rotinas, melhorar seus hábitos e tornar o convívio mais harmonioso.

Touro 21/04 a 20/05

regente: Vênus

A articulação intelectual com as pessoas é beneficiada pelo trânsito lunar no setor social e pela associação com Mercúrio. Sejam os projetos do trabalho ou as atividades de lazer, tudo lhe traz significados mais interessantes, o que impulsiona seu autoconhecimento neste período.

Gêmeos 21/05 a 20/06

regente: Mercúrio

A passagem da Lua pela quarta casa e sua associação com Mercúrio promovem sua consciência e responsabilidade, lhe conduzindo na busca por melhorias no ambiente familiar. Procure planejar melhor suas rotinas e promova melhorias que tornem sua vida cotidiana mais otimizada e agradável.

Câncer 21/06 a 21/07

regente: Lua

Unindo poder criativo e raciocínio lógico, você confere um tom de originalidade às suas ações. Lua e Mercúrio formam conjunção no setor de comunicação, trazendo ousadia e habilidade de argumentação, o que estimula sua produtividade intelectual e lhe coloca em posição de destaque hoje.

Leão 22/07 a 22/08

regente: Sol

Seus caminhos de prosperidade se abrem hoje, neste momento em que Lua e Mercúrio associados estimulam os assuntos voltados para o gerenciamento material em sua vida. Busque o conselho de especialistas no que se refere aos investimentos financeiros, e veja quais são as opções mais favoráveis.

Virgem 23/08 a 22/09

regente: Mercúrio

Suas ideias ganham destaque e atenção, neste momento em que Lua e Mercúrio se associam em seu signo, evidenciando seu lado mais ousado. Você demonstra intenso poder de articulação nos grupos dos quais faz parte. Suas atitudes e originalidade servem como inspiração para as pessoas.

Libra 23/09 a 22/10

regente: Vênus

Sua atitude mais lúcida lhe ajuda a superar as dificuldades e a solucionar desafios de maneira mais prática e objetiva, pois Lua e Mercúrio conjuntos no setor de crise lhe trazem uma maior lucidez. Assuntos mais complexos e que exijam maior poder de análise estarão favorecidos neste período.

Escorpião 23/10 a 21/11

regente: Plutão (co-regente Marte)

As sinergias em suas amizades ficam ressaltadas, neste momento em que Lua e Mercúrio se aspectam. O momento se mostra favorável para as iniciativas em grupo, especialmente para os planejamentos em conjunto. O bom entendimento dependerá de sua sinceridade e diplomacia ao lidar com assuntos delicados.

Sagitário 22/11 a 21/12

regente: Júpiter

A conjunção Lua-Mercúrio expande sua percepção para as oportunidades, indicando que o bom planejamento de suas atividades promoverá um aumento na produtividade profissional. Pesquisas e debates em suas áreas de interesses estarão favorecidas. Aproveite para expandir conhecimentos e chances de êxito.

Capricórnio 22/12 a 20/01

regente: Saturno

Suas ideias e valores se fortalecem, promovendo um intenso amadurecimento, neste momento em que Lua e Mercúrio estabelecem associação. Você percebe as situações a sua volta com um olhar mais aguçado, o que lhe permite perceber melhor as pessoas e, principalmente, sua própria vida.

Aquário 21/01 a 19/02

regente: Urano (co-regente Saturno)

Sua vida emocional fica mais equilibrada, neste momento em que Lua e Mercúrio formam associação. Seu aguçado bom senso favorece o gerenciamento da vida prática, assim como a superação de conflitos interpessoais. A vida afetiva se beneficia da intensa sexualidade neste período.

Peixes 20/02 a 20/03

regente: Netuno (co-regente Júpiter)

O convívio fica mais harmonioso quando estimulado pelo diálogo e pela cumplicidade, pois Lua e Mercúrio se associam no setor de relacionamentos. Estimule os laços de afinidade junto àquelas pessoas pelas quais você tem admiração, dando atenção às demandas nas relações. Seja atencioso e presente.

© 2006-2017 Todos os direitos reservados
a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Pedófilo é preso pela Polícia Civil com 500 imagens ilícitas envolvendo meninas de 11 a 14 anos.

Investigações realizadas pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Icó – Área Integrada de Segurança 21 (AIS 21) –, resultaram na prisão de um homem que possuía materiais pornográficos de crianças e adolescentes. Com o infrator, os agentes de segurança encontraram mais de 500 imagens ilícitas envolvendo menores de idade.

A ação policial foi desenvolvida, na última quinta (17), em cumprimento a mandado de prisão preventiva contra Francisco Werley Ferreira Alves (25), que não possuía antecedentes criminais. O homem foi capturado em sua residência, na mesma cidade. Outros dois mandados de busca e apreensão também foram cumpridos pela Polícia em dois endereços. Nos imóveis, foram apreendidos 10 computadores e centenas de mídias digitais. O trabalho contou com a atuação de policiais civis das Delegacias Regional e da Mulher de Icó.

De acordo com a delegada Gabriela Barreto, titular da DDM, as investigações, que vinham sendo realizadas há seis meses, tiveram início após as denúncias de algumas vítimas. A delegada conta que Francisco raqueava redes sociais de meninas com idades entre 11 e 14 anos e se passava por elas na internet. Depois disso, o próximo passo do criminoso era pedir fotos e vídeos de outras meninas sem roupa. Quando elas percebiam que não se tratava da amiga, o suspeito as ameaçava para que continuassem a enviar as imagens.

Ainda segundo Gabriela Barreto, o preso fez dezenas de vítimas. O caso segue investigado sob segredo de Justiça. Francisco Werley foi preso pelos crimes previstos nos artigos 240, 241, 241-A, 241-B, 241-C e 241-D do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que se referem aos seguintes delitos: produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográfica, envolvendo criança ou adolescente; Vender ou expor à venda fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo menor; Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, inclusive por meio de sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente; adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente; Simular a participação de criança ou adolescente em cena de sexo explícito ou pornográfica por meio de adulteração, montagem ou modificação de fotografia, vídeo ou qualquer outra forma de representação visual; e aliciar, assediar, instigar ou constranger, por qualquer meio de comunicação, criança, com o fim de com ela praticar ato libidinoso.

Fonte: SSPDS

Copyright © 2017 -Revista Central. Todos os direitos reservados / contatos@revistacentral.com.br / (88) 9 9909-9512

VAGAS Oportunidade de Emprego (Aracati e Russas) 22/08/2017 3ª Feira

VAGAS
Oportunidade de Emprego
(Aracati e Russas)
22/08/2017   3ª Feira   📅

VAGAS Oportunidade de Emprego (Limoeiro páginas 1 e 2 ) 22/08/2017 3ª Feira

VAGAS
Oportunidade de Emprego
(Limoeiro páginas 1 e 2 )
22/08/2017   3ª Feira   📅

Tabuleiro do Norte: Homem sofre tentativa de homicídio em bar


Informações extraoficiais dão conta de uma tentativa de homicídio à bala, que veio a ocorrer no mutirão Vila Macena, em Tabuleiro do Norte.


Segundo relatos, a vítima foi identificada apenas como "Belanio".

Populares disseram que houve vários disparos, mais que o mesmo tinha sido atingido apenas por um. O fato veio ocorrer num bar, identificado como bar do Zezinho.

SEM MAIS DETALHES!

Brasil registra 28 mil homicídios no 1º semestre



Marco Antônio Carvalho
No Recife 

 
Leo Martins/Agência O Globo

Homem morre após tiroteio no Rio; número de homicídios no país cresce 6,79%

O Brasil já ultrapassou a marca dos 28 mil assassinatos cometidos neste ano. De acordo com dados fornecidos pelas secretarias estaduais de segurança pública, no 1º semestre o país chegou a 28,2 mil homicídios dolosos, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios (roubos seguidos de morte). São 155 assassinatos por dia, cerca de seis por hora nos Estados brasileiros, onde as características das mortes se repetem: ligada ao tráfico de drogas e tendo como vítimas jovens negros pobres da periferia executados com armas de fogo. O número é 6,79% maior do que no mesmo período do ano passado e indica que o país pode retornar à casa dos 60 mil casos anuais.

O aumento acontece em um ano marcado pelos massacres em presídios, pelo acirramento de uma briga de duas facções do crime organizado (Primeiro Comando da Capital e Comando Vermelho), dificuldades de investimento dos Estados na área e um plano federal de apoio que avança menos que o prometido.

Em âmbito local, o aumento é puxado pelas elevações registradas em Estados nordestinos, como Pernambuco. Se o país teve 1.700 homicídios a mais neste semestre, boa parte, 913, se deve à derrocada do Pacto Pela Vida, programa pernambucano que vinha conseguindo reduzir os assassinatos na última década, enquanto a região mantinha a tendência de alta.

A onda de violência tomou as cidades pernambucanas, assim como foi intensificada no Ceará e no Rio Grande do Norte. Quatro dos 11 Estados que tiveram aumento no ano estão no Nordeste.

Se as disputas relacionadas ao tráfico de drogas explicam parte da alta, é necessário, em outra medida, alertam especialistas, entender como essa dinâmica funciona. O professor da Pontifícia Universidade Católica de Minas (PUC-Minas), e ex-secretário adjunto de Defesa Social do Estado, Luis Flávio Sapori se debruçou sobre inquéritos de homicídios de Belo Horizonte e Maceió para testar essa máxima.

Em estudo divulgado neste mês, chegou a conclusões importantes. "Os dados empíricos apresentados até o momento confirmam que a principal motivação dos homicídios nas capitais estudadas deriva de conflitos no mercado das drogas ilícitas. Entretanto, os patamares do fenômeno são bastante inferiores ao que é geralmente propagado por autoridades políticas e de segurança pública."

Ele explica que o tráfico e os traficantes acabam por gerar uma "difusão da violência". "Nas relações afetivas, nas relações familiares, nas relações de vizinhança e na sociabilidade cotidiana, os comerciantes das drogas ilícitas tendem a utilizar o mesmo padrão violento de resolução de conflitos vivenciado nas relações estritamente econômicas com parceiros, com concorrentes, com fornecedores e com clientes", diz. "E a posse da arma de fogo é elemento decisivo nesse fenômeno", completa.

O professor destaca que as conclusões, com base nessas duas cidades, podem ser usadas na análise da realidade do País. "Isso explica boa parte do que está acontecendo nas cidades brasileiras, onde o tráfico se consolidou como matriz dos homicídios. Mas é necessário fomentar estudos locais para entender as singularidades e levá-las em consideração na elaboração de políticas públicas", diz.

A antropóloga e professora da Universidade do Estado do Rio (Uerj) Alba Zaluar atribui o aumento da violência ao "fim do investimento nos projetos e nas polícias estaduais comprometidas" com a prevenção. Ela lembra os exemplos do Pacto pela Vida, em Pernambuco, o Fica Vivo, em Minas, o Estado Presente, no Espírito Santo, e as Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) no Rio. "Os efeitos benéficos começaram a ser revertidos, agora ainda mais evidentes pela ausência de investimento público neles. Em diferentes porcentuais, as taxas de homicídio voltaram ao padrão observado em 2009, antes da implementação desses projetos", escreveu ao Estado.

"Se os projetos queriam ganhar os jovens atraídos pelos comandos de crime organizado que atuam hoje em todo o território nacional, seria também crucial fazer com que a atração exercida por este importante ator nas trevas das atividades empresariais diminuísse. Infelizmente não diminuiu", diz. "Nada foi feito para mudar essa atração pelo negócio ilegal altamente lucrativo. Enquanto nada for feito, vamos ficar investindo muito para ver todo o gasto ir embora pelo ralo."

O Ministério da Justiça foi questionado pela reportagem sobre a elevação do semestre no país, mas não comentou. Sobre o Plano Nacional de Segurança, destaca que "os investimentos inicialmente previstos foram revisados e adequados com a realidade financeira da União e perfeitamente absorvidos pelos Estados, que adaptaram as ações propostas de modo a atingir os resultados. Paralelo a isso, ações de capacitação e doação de equipamentos estão sendo realizadas." As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

© UOL 1996-2017

Presidente do Sinpol afirma que Polícia Civil sofre abandono do governo e omissão do Ministério Público

Lucas afirma que governo não tem menor interesse nem compromisso com a Polícia Civil 
”Hoje, aqui no Ceará, o bandido tem a certeza de que, se não for pego em flagrante, e geralmente não é, não será alcançado por uma investigação. Aqui, só se investiga os crimes de maior repercussão ou quando a vítima (do crime) é da alta sociedade, infelizmente”.
A declaração foi feita pelo presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Ceará (Sinpol), Francisco Lucas da Silva, em entrevista exclusiva, na manhã desta segunda-feira (21) ao programa “Ceará News”, da Rede Plus de Rádio FM. 
De forma incisiva, ele fez um relato da situação de caos que atinge a instituição, com a falta de efetivo (delegados, escrivães e inspetores) e a péssima estrutura física das delegacias, além do gravíssimo acúmulo de inquéritos que ficam parados, sem investigação, por falta de pessoal. “O governo não tem o menor interesse e nem compromisso com a Polícia Civil. O sucateamento da instituição vem de três décadas”, dispara Lucas.
Inquéritos parados
Segundo ele, nas delegacias da Polícia Civil as poucas equipes existentes não atendem sequer à demanda diária da população que requer os serviços da instituição. Segundo o sindicalista, o estado de paralisia das investigações se reflete nos milhares de inquéritos parados e os crimes sem solução.  Segundo ele, o governo poderia resolver isso com a contratação de novos servidores para a Pasta. “Temos um cadastro reserva (candidatos aprovados nos últimos concursos para delegados, inspetores e escrivães), mas ele não chama, não tem interesse na Polícia Civil”, repete.

Por conta disso, ele criticou a recente decisão do secretário da Segurança Pública, André Costa, que mandou devolver para as delegacias distritais e metropolitanas da Grande Fortaleza cerca de seis mil inquéritos que estavam parados na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Faz-de-conta
Lucas considerou essa situação gravíssima e acusou o Ministério Público do Ceará de ser omisso na fiscalização externa da atividade policial no estado. “O Ministério Público se omite de forma grave. A fiscalização do Controle Externo é um faz-de-conta. Eu disse lá, “vocês apenas fazem de conta que fiscalizam”.

Ele criticou também uma recente portaria assinada pelo delegado-geral da Polícia Civil, Everardo Lima, proibindo a divulgação de imagens captadas pelas câmeras instaladas nas delegacias. “Isso não contribui em absolutamente nada. A sociedade tem que ter o conhecimento desse tipo de situação. Essa medida não vai resolver nada, esse não é o caminho”.

O presidente do Sinpol falou também das péssimas estruturas das delegacias e citou como exemplo a Delegacia de Defesa da Mulher, as Metropolitanas de Maracanaú e Itaitinga e a Delegacia Regional de Jaguaribe, que já foi interditada pela Justiça, mas continua funcionando ilegalmente.

Blog Fernando Ribeiro

HORÓSCOPO DO DIA 22 DE AGOSTO DE 2017

Áries 21/03 a 20/04 regente: Marte Seu foco se volta para hábitos mais saudáveis, neste momento em que Lua e Mercúrio formam conjunção no...