quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Corpos de bebes encontrado em MG

Foram encontrados os corpos dos bebês gêmeos que desapareceram de Uberaba, Minas Gerais  (481 km de Belo Horizonte) após a morte da mãe. Os bebês Ana Flávia e Lucas de apenas dois meses de vida foram mortos a tiros e encontrados enterrados e presos em duas cadeirinhas na tarde desta terça-feira (17) em Buritizal, São Paulo a quatro quilômetros do local onde foi encontrado o corpo de Izabella Marquez Gianvechio de 22 anos próximo a Aramina, também em São Paulo. De acordo com as investigações, Izabella saiu de casa na última quinta-feira (11) com os gêmeos. Em um áudio enviado para uma amiga, ela disse que iria se encontrar com o pai das crianças, mas que ninguém poderia saber do encontro.  Apontado como principal suspeito do crime, o empresário Matuzalem Ferreira Júnior, de 49 anos, suposto pai das crianças se apresentou espontaneamente à delegacia de Uberaba nesta terça-feira (17)  e confessou ter mandado um homem matar a mulher e os filhos. Depois de ser ouvido, o suspeito levou os agentes a uma estrada de terra  onde os bebês foram encontradas.  No local, também foi apreendido um revólver, que estava com cinco projéteis usados e provavelmente foi a arma do crime. De acordo com informações as crianças foram mortas pouco depois de a mãe ter sido assassinada e deixada perto de Aramina. "Um ficou no carro e o outro desceu com os gêmeos, entrou no mato e atirou nas crianças, segundo a versão do suposto pai", afirmou o delegado regional . O triplo homicídio será investigado pela Polícia Civil em Aramina, enquanto as circunstâncias do sequestro da mãe e dos filhos ficarão a cargo da polícia em Uberaba. Também nesta terça-feira, um veículo carbonizado foi encontrado . Carro que, segundo a Polícia Militar, pode ter sido utilizado pelo suspeito de participação na morte da jovem Izabella Gianvechio e de seus filhos gêmeos. Segundo a delegada Carla Bueno, responsável pelo caso em Uberaba, o homem assumiu que teve um relacionamento com a jovem e não descartou a possibilidade de ser pai dos gêmeos. "Ele disse que realmente teve um relacionamento esporádico com ela e que havia marcado o encontro. Afirmou que ela já havia o procurado para resolver a questão do registro dos bebês e que ele estaria sendo pressionado para assumir a paternidade", contou. O homem confirmou a participação de mais um indivíduo no crime. Ele ainda não foi localizado pela polícia. O suposto pai dos gêmeos disse à polícia que esse outro homem teria efetuado o disparo que matou Izabella Gianvechio. Cerca de 50 familiares estiveram nas imediações da delegacia pedindo justiça e tentando linchar o suspeito. Gritos foram ouvidos no momento da saída da viatura onde estava o empresário. Vitor Gianvechio, pai da jovem morta  estava bastante emocionado. "Esse homem tem que ficar preso e não pode sair", clamou .  O caso continua sendo investigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário