segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Matadouro Público de Areia Branca-RN e a agressão à saúde pública

A cidade de Areia Branca parece ser assolada apenas por trágicas notícias, infelizmente, essa percepção é a mais pura realidade. Dentre as tragédias deixadas pelo (des)governo passado e continuadas pelo atual está o matadouro público. Os mais jovens talvez não saibam, mas o antigo matadouro – um espaço próprio para criação e abatimento do gado, ou melhor, mais próximo do que é efetivamente um matadouro – situava-se ao lado do cemitério, em uma ruazinha onde entrávamos por trás da parabólica.

Hoje, não há matadouro público: entendido como aquele espaço previamente projetado e minimamente aparelhado para o abate de animais. O que existe é um cercado infestado de mato, cachorros, galinhas e insetos portadores dos mais variados tipos de doença coabitando no espaço onde se abate os animais. 

Onde estão os organismos que fiscalizam as condições sanitárias da área que abastece uma parte do mercado de carne do Município? Ah, quase esquecemos, esse organismo pertence à administração da mulher invisível

Esse é um legado do ex-prefeito Manoel Cunha,  conhecido por ter vendido o matadouro e em seu local implementado um chiqueiro – veja vocês se essa não é a palavra adequada!

Areia Branca Verdade

Nenhum comentário:

Postar um comentário