sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Polícia Civil desarticula dois grupos criminosos que agiam em Fortaleza

presos algemados
Nove mandados de prisão foram cumpridos em duas ações realizadas pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Dois dos alvos são os chefes de duas organizações criminosas rivais, atuantes no tráfico de drogas e em homicídios no bairro Jardim das Oliveiras – Área Integrada de Segurança 4 (AIS 4) de Fortaleza. As ofensivas policiais foram realizadas ao longo do feriado de Carnaval e resultaram na desarticulação dos bandos.

Chefe é preso
Dos nove mandados, dois foram cumpridos contra Hélio Maik Alves de Lima (23), o “Maikera”, apontado como chefe da “Gangue do Tasso”. Ele foi preso por envolvimento na chacina na comunidade “Cinquentinha”, ocorrida em agosto de 2015, e na morte de Antônio José Santos de Santiago (27), o “Zé Bocão”, ocorrida em junho do ano passado. Além disso, o suspeito responde a seis procedimentos policiais por homicídio e a dois por tentativa de homicídio.

“Maikera” foi capturado, nesse sábado (06), no município de Sobral, onde estava escondido. Na operação, a DHPP contou com o apoio de policiais civis da cidade. Ele ainda tentou empreender fuga, mas logo foi interceptado. O grupo chefiado pelo suspeito é rival da “Gangue da Cinquentinha”. De acordo com levantamentos policiais, as disputas entre os bandos foram iniciadas com o duplo homicídio que vitimou Antônio Emanuel Melo da Silva (26), conhecido como “Emanuel Cego”, e Everson Sousa Ribas (20), o “Pingo”, ocorrido em novembro de 2014. Em seguida, o acirramento entre os grupos foi intensificado após o assassinato de “Zé Bocão”. “Maikera” é apontado como partícipe das três ocorrências. Ele confessou as mortes de Emanuel e de “Pingo”. As três vítimas eram integrantes da “Gangue da Cinquentinha”.
Outros mandados
Os outros sete mandados, decorrentes do crime de tráfico de drogas, foram cumpridos contra infratores partícipes da “Gangue da Cinquentinha”, em uma ação que foi finalizada hoje (11), sendo iniciada na última sexta-feira (05). Destes, três foram capturados e se tratam de Tais Rodrigues Silva (24), José Márcio Souza da Silva (28), o “Budinha”, e Breno da Silva Gomes (20). Nenhum deles possuía passagem pela Polícia e todos tinham funções estratégicas no esquema criminoso. Enquanto Taís era responsável por “lavar” o dinheiro ilícito, com depósitos em contas bancárias, “Budinha” e Breno faziam o transporte e a distribuição dos entorpecentes para as “bocas de fumo”, além da cobrança dos valores arrecadados no crime.

O trio foi capturado em Fortaleza, em endereços diferentes. Com eles, a Polícia apreendeu munições de calibre ponto 40, cartões bancários, pequena quantidade de maconha, um carro Pálio roubado e uma motocicleta. Todos foram encaminhados à sede da DHPP.
As outras prisões foram cumpridas em unidades prisionais contra suspeitos que já estavam encarcerados por outros delitos. Um deles é o chefe do bando, identificado como Silas Ferreira de Aquino (28), que responde a 15 homicídios e a cinco roubos. Ele também é investigado por ordenar a morte de “Castor”, que se trata de Carlos Alexandre Alberto da Silva (38), preso com um fuzil em novembro de 2015 e era também um dos chefes da “Gangue do Tasso”. Ele foi morto dentro da Casa de Privação Provisória de Liberdade 1 (CPPL 1), na qual estava detido.
Além de Silas, também foram cumpridos mandados contra as presas Maria Auverlena Canuto Vieira Lira (46) e Maria Cristina Martins da Silva (50), que respondem por tráfico de drogas e já foram flagradas com 60 quilos de maconha; e John Lennon Alexandre, o “Baixinho”, que era o executor do grupo. Maria Cristina tinha o papel de guardar a droga em sua residência.
Segundo o delegado George Monteiro, que preside as investigações sobre os casos, as diligências continuam no sentido de capturar outros envolvidos nas organizações criminosas. Resta ainda cumprir mandado de prisão contra Robson Agustinho da Silva, outro chefe da “Gangue do Tasso”.
Outras prisões
Com a prisão de “Maikera”, já somam cinco os capturados por participação na chacina. Inclusive um deles é o filho de “Castor”, Luan Brito da Silva (21), que possuía dois mandados de prisão em aberto por homicídio e foi preso em dezembro.
Ceará Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário