sexta-feira, 15 de abril de 2016

Três estelionatários são presos com quase R$ 2 milhões em notas falsas no Ceará

estelionatários
A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) desfez uma negociação de quase R$ 2 milhões em notas falsificadas e desarticulou uma quadrilha com ramificações interestaduais. Três estelionatários foram presos e um quarto envolvido está sendo procurado pela Polícia. O flagrante foi realizado por policiais do Departamento de Inteligência Policial (DIP) e o caso foi registrado 34º Distrito Policial, nessa quarta-feira (13).
Ao todo, foram apreendidos 21 pacotes de cédulas de 100 reais adulteradas, totalizando aproximadamente R$ 1,7 milhão. O dinheiro falso foi encontrado com Francisco Ilanio Bandeira Silva (51), Francisco Monteiro (65), o “Cleber”, que responde a cinco procedimentos policiais, sendo três por roubo e dois por estelionato, e Jose Dias da Cruz (60), que não possuía antecedentes criminais. “Eles percorrem pelas capitais do nordeste aplicando o golpe”, disse o delegado Romério Almeida, titular do 34º DP, detalhando que um dos presos atua no esquema há mais de 40 anos.
O trio teve o plano frustrado na Praça da Gentilândia, bairro Benfica – Área Integrada de Segurança 1 (AIS 1) de Fortaleza – ponto de encontro com a pessoa que compraria o montante. Os policiais receberam informações de que eles estariam aplicando golpes com o uso de dinheiro falso em troca de dinheiro verdadeiro. O comprador, do Estado de Alagoas, veio para Fortaleza com o objetivo de adquirir R$ 2 milhões pela quantia de R$ 500 mil.
dinheiro falso
As cédulas eram carregadas pelos golpistas em duas malas. Com Francisco Ilanio ainda foram encontrados quatorze cheques em nome de terceiros, além de um celular. Ilanio e José Dias disseram que só ajudaram a carregar as malas em troca de receberem uma quantia ainda a combinar. Francisco Monteiro, por sua vez, confessou ser o responsável pelas notas e ainda disse que o material é oriundo da cidade de Recife, em Pernambuco.

Segundo a vítima, que denunciou o crime, José Dias foi ao seu estabelecimento, em Alagoas, e deu como gorjeta uma nota de R$ 50,00 a um de seus funcionários, dizendo que “no Ceará tem muito dinheiro desses”. A partir daí, o alagoano teve a informação do suposto trabalho realizado pelo grupo, de venda de “dinheiro”.
Os três suspeitos foram encaminhados ao 34º DP e autuados em flagrante por estelionato e associação criminosa, com base nos Artigos 171 e 288 do Código Penal. Eles confessaram que praticam o golpe rotineiramente, juntos, além de serem conhecidos nesse tipo de vantagem. A vítima, porém, não aguardou para ser ouvida na delegacia e não forneceu seus dados.
Ceará Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário