terça-feira, 26 de julho de 2016

Oficiais da PM e do Corpo de Bombeiros entregam os cargos para pressionar Camilo a cumprir promessa de campanha


Quepe da PM 2O governador do Estado, Camilo Santana (PT), e seus assessores terão nas próximas horas que debelar mais um “incêndio” na área da Segurança Pública. Além de amargar o alastramento do crime  organizado, a elevação abrupta das taxas de assassinatos e o completo descontrole no Sistema Penal, Camilo  agora vai se defrontar com uma revolta dos oficiais da PM e do Corpo de Bombeiros Militar (CBM).   Nas últimas 24 horas, cerca de 140 deles decidiram colocar seus cargos de chefia à disposição do governo.
O objetivo dos militares é pressionar o governo a implantar a “Média do Nordeste” uma reivindicação estabelecida pela categoria ainda no período da campanha eleitoral. Camilo se comprometeu com os militares cearenses a revisar o sistema de promoções e a implantar a média salarial do Nordeste. A primeira promessa ele já cumpriu, promovendo quase 10 mil homens das duas Corporações. A segunda, ficou só na conversa.
Diante de uma gravíssima crise financeira, com o Estado prestes a não ter nem mesmo como quitar a folha de pagamento de salários dos servidores da ativa, aposentados e pensionistas, Camilo Santana não tem como cumprir o que prometeu aos militares e estes não vão aceitar desculpas.

Ganhou força
Nas últimas horas, o movimento do oficialato da PM e do CBM ganhou força nas redes sociais e os militares não descartam cruzar os braços diante do não cumprimento da promessa de campanha do governador. Desde o ano passado Camilo  faz  escaramuças para protelar a negociação. Chegou a mandar para outros estados uma comissão de militares com o objetivo de estudar o assunto. Mas, na prática nada foi resolvido.
O número de oficiais a entregar os cargos de direção e assessoramento deve aumentar nas próximas horas, segundo fontes das duas corporações.
Já para o próximo domingo, familiares e amigos de PMs vão realizar novo protesto diante do caos que dominada a Segurança Pública no Ceará. Será na Avenida Beira-Mar. Os manifestantes vão denunciar o estado de violência  que, na gestão de Camilo Santana já deixou 22 policiais mortos no Ceará, um recorde.

Acabou o prazo
Também nesta terça-feira (26)  se esgota o prazo que as associações de policiais militares cearenses, policiais civis, bombeiros militares e agentes penitenciários deram ao governador para que ele se pronuncie sobre as reivindicações das categorias, entre elas, a de exonerar os secretários da Segurança Pública, Delci Teixeira; e o da Justiça e Cidadania, Hélio Leitão.
O pedido foi referendado também pelo deputado federal Cabo Sabino (PR). 

Blog Fernando Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário