terça-feira, 2 de agosto de 2016

CEARÁ PACÍFICO? Homicídios na Capital tiveram alta de 35% em julho, com 84 pessoas mortas

terca-feira 2.8.2016 366Depois de uma trégua ordenada pelas facções, os assassinatos voltaram com altas taxas na Capital

elo menos, 84 pessoas foram assassinadas em  julho na Capital cearense. O número revela um aumento da ordem de 35,4 por cento em comparação ao mês de junho, quando 62 homicídios ocorreram em Fortaleza.
A estatística foi parcial foi feita pelo portal cearanews7.com.br com base nos registros das ocorrências das polícias Civil e Militar e da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). Nelas estão incluídos os casos de homicídios, latrocínios, lesões corporais seguidas de mortes, óbitos por conta de intervenção policial além dos assassinatos que ocorrem dentro dos presídios.
Em todo o Estado, foram registrados, ao menos, 253 assassinatos, sendo 84 na Capital, 54 dos Municípios que compõem o cinturão da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), além de 48 casos no Interior Norte e 67 no Interior Sul.
Dados
Nas estatísticas de julho, foram registrados, nada menos, que nove casos de duplos homicídios (18 vítimas no total), um caso de triplo assassinato e outro de um quádruplo.
Pelo menos, três agentes da Segurança Pública foram mortos em julho, sendo um policial militar da Reserva Remunerada (assassinado em Caucaia), um ex-PM (morto no Conjunto Palmeiras), e um agente penitenciário (assaltado e morto no bairro Jardim América).
Sete pessoas foram vítimas de latrocínio (roubo seguido de morte), 11 pessoas foram mortas em intervenção plicial (trocaram tiros com policiais ou reagiram de outra forma na hora da abordagem policial)
Também e julho ocorreram dois casos de morte por linchamento nas ruas de Fortaleza (nos bairros Pirambu e Jardim Iracema).
Entre as vítimas da violência figuraram também 17 adolescentes e oito mulheres.
Um detento foi assassinado dentro de uma unidade do Sistema Penitenciário na Região Metropolitana de Fortaleza

Blog Fernando Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário