quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Polícia Civil do Rio Grande do Norte anunciou nesta terça-feira (2) a prisão de Daniel Silva de Carvalho, apontado como sendo o "número 2" da facção que reivindica os ataques criminosos

 Polícia Civil do Rio Grande do Norte anunciou nesta terça-feira (2) a prisão de Daniel Silva de Carvalho, apontado como sendo o "número 2" da facção que reivindica os ataques criminosos que vêm sendo registrados no Estado desde a sexta (29). Além dele, foi presa Islania de Abreu Lima, que também seria uma das chefes da quadrilha. Os dois foram presos em cumprimento a mandados de prisão.

De acordo com a Polícia Civil, Daniel Silva de Carvalho, de 29 anos, é o segundo na linha hierárquica da organização criminosa no Estado. Segundo as investigações, o suspeito dava suporte às ações da facção, intermediando o contato entre João 'Magro' - preso pela polícia neste domingo (31) e apontado como líder da facção - e membros do baixo escalão, responsáveis diretos pelos atentados. Daniel era preso do regime semiaberto e usava uma tornozeleira eletrônica no momento em que foi preso.

Segundo o delegado geral da Polícia Civil no RN, Clayton Pinho, o suspeito foi preso em casa,  em cumprimento a um mandado de prisão temporária de 30 dias expedido pela Vara Criminal deParnamirim, na Grande Natal, e não reagiu no momento da prisão. O local da prisão foi mantido em sigilo pela polícia.

A polícia também manteve em sigilo o local aonde foi presa Islania de Abreu Lim, de 24 anos. Segundo a Polícia Civil, Islania é mulher de outro representante do alto escalão da facção, que foi preso no RN e transferido para o Presídio Federal de Porto Velho, em Rondônia. De acordo com as investigações, Islania chefiaria parte da quadrilha a mando do marido.

A mulher também foi presa em cumprimento a um mandado de prisão. O local da prisão também não foi divulgado pela Polícia Civil.

De acordo com os números da Secretaria Estadual de Segurança e Defesa Social (Sesed), 72 suspeitos de participação nos ataques no RN já foram presos ou apreendidos. Ao todo, 80 ocorrências já foram registradas no estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário