terça-feira, 27 de setembro de 2016

Confissão: Mesmo morta, menina foi abusada


Terça-feira 27/09/16, às 06:31h

CONFISSÃO

Mesmo morta, menina foi abusada

Caseiro disse à Polícia que sentia 'atração sexual' pela vítima; criança desmaiou durante agressões

Os delegados George Monteiro e Socorro Portela, da DHPP, e o major Bombeiro Orlando de Sá, relataram detalhes da operação, ontem ( Foto: Thiago Gadelha )

01:00 · 27.09.2016 por Messias Borges - Repórter

A residência do caseiro, que fica aos fundos do sítio em que ele trabalhava, foi depredada por populares revoltados com o crime ( Foto: Reprodução/TV Verdes Mares )

Um 'instinto' sexual foi o argumento utilizado pelo caseiro José Leonardo Vasconcelos Gracindo, o 'Zé', de 33 anos, para ter matado e estuprado a menina Rakelly Matias Alves, de apenas oito anos, e em seguida jogado o corpo dela em uma cacimba. O homem confessou à Polícia que abusou da menina enquanto ela estava desacordada e mesmo depois dela já morta.

>Rakelly foi estuprada e estrangulada, confessa caseiro

>'Foi você que matou minha filha', disse mãe de Rakelly para o suspeito no dia do crime

>População tenta linchar suspeito de ocultar corpo de criança; veja vídeo

>Criança é sepultada em Itaitinga

>Homem confessa ter matado menina Rakelly e é preso; Polícia conclui que ele não ingeriu veneno

O crime, que gerou comoção no Estado, ocorreu em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), na última quarta-feira (21). O corpo da criança, no entanto, foi localizado somente no último sábado (24). Os detalhes foram revelados ontem, em coletiva de imprensa na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Capital.

'Zé' afirmou ainda que cometeu os crimes sozinho na casa grande do sítio, enquanto a esposa, o irmão e o filho dormiam e não suspeitavam de nada na casa do caseiro, que fica ao fundo da propriedade. O imóvel foi depredado por populares.

O suspeito foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável, homicídio e ocultação de cadáver e pode pegar o total de 43 anos de prisão, se condenado. Ele já se encontra em uma unidade prisional no Ceará, que não foi divulgada pela Polícia Civil, para manter a integridade física dele, que já foi ameaçado.

O motivo apresentado pelo criminoso para estuprar a menina foi sentir desejo sexual por ela. A morte da criança e a decisão por jogar o corpo na cacimba foram feitas para "esconder aquele abuso", conforme ele contou à titular da DHPP, delegada Socorro Portela.

A presidente do inquérito também afirmou que a Polícia não descarta a participação de outras pessoas nos crimes. Suspeitos, a esposa de 'Zé' negou ter conhecimento de toda a história e o irmão do preso não prestou depoimento porque viajou para Sobral, no Interior do Ceará, por medida de segurança. Os dois ainda serão ouvidos nos próximos dias, assim como o filho do caseiro, de 11 anos, que era amigo de Rakelly e estava na propriedade durante o crime.

Brincadeira

Aquela quarta-feira parecia um dia comum para as duas famílias, que eram vizinhas já há cerca de 13 anos. As crianças foram à escola. Patrícia Alves, mãe de Rakelly, saiu para trabalhar. E o casal de caseiros vizinhos cuidava do sítio do patrão.

Como a avó de Rakelly não estava em casa, Patrícia pediu para um mototaxista ir buscar a criança no colégio. A menina chegou em casa por volta do meio-dia, trocou de roupa. O tio ofereceu almoço à menina, que preferiu ir brincar na casa vizinha, com o filho do caseiro, como de costume. Este tio, último familiar a ver Rakelly, saiu então em seguida para trabalhar.

A menina de 8 anos foi sozinha à casa vizinha. Chegando lá, deparou-se com José Leonardo. Eles conversaram e o homem deu então deu uma 'gravata' no pescoço de Rakelly, que se defende mordendo o dedo polegar do agressor. Ele tenta novamente segurar a criança com o outro braço, e a menina revida com nova mordida e gritos, mas acaba ficando desacordada.

'Zé', então, abusa sexualmente da menina. Quando ela acorda, ele amordaça a boca dela e continua o estupro. Por fim, decide matá-la. Segundo a Polícia, o caseiro utilizou uma camisa para estrangular a menina. Rakelly morreu nos braços do agressor.

Com a menina já morta, o homem ainda praticou novamente atos libidinosos.

Em seguida, a colocou em um saco plástico, que foi arrastado até a cacimba, que fica localizada ao fundo do sítio. Por fim, arremessou o corpo no fosso.

Por volta de 16h, o tio de Rakelly passa na casa onde 'Zé' reside, para terminar um trabalho de encanamento, e constata que a sobrinha não está mais lá. A partir deste momento, a família se mobiliza nas redes sociais em busca da criança. Nos dias seguintes, a Polícia inspeciona a área em volta e não encontra nenhum vestígio. Segundo a mãe da vítima, 'Zé' vai várias vezes à casa da criança e pergunta se ela foi encontrada.

As investigações da Polícia seguiram até que, no sábado, a cacimba foi localizada. 'Zé', então, admitiu a princípio ter matado Rakelly e tentado ocultar o cadáver no fosso.

O Corpo de Bombeiros entrou em ação e conseguiu retirar a vítima da cacimba. A menina estava sem as peças íntimas e já se encontrava em estado avançado de putrefação. Os laudos periciais devem ser divulgados nos próximos dias.

Fonte: DN


Nenhum comentário:

Postar um comentário

AÇÃO Manifestantes fazem protesto a favor da Lava Jato na Praça Portugual. De acordo com a organização do ato, cerca de 1000 pessoas se encontram no local. Vias de acesso estão bloqueadas pela AMC.

Foto: José Leomar Previous Next Em Fortaleza, o ato de apoio ao juiz Sérgio Moro e à Operação Lava Jato - pelo fim do foro privilegiado ...