sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Controladoria vai apurar agressão de um sargento da PM ao colega de farda baleado durante tiroteio no Centro de Fortaleza

Publicado: Sexta-feira 23 de Setembro de 2016 às 10:15h.

Controladoria vai apurar agressão de um sargento da PM ao colega de farda baleado durante tiroteio no Centro de Fortaleza

O sargento desfere chutes no cabo já baleado pelo inspetor da Polícia Civil. Agressão foi filmada

Um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) será instaurado nesta sexta-feira (23) pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Púbica e do Sistema Penitenciário do Estado do Ceará (CGD) para apurar a conduta de um policial militar filmado agredindo a chutes outro PM que havia ficado gravemente ferido num tiroteio com um inspetor da Polícia Civil.

As cenas gravadas são rápidas, mas mostram com clareza o momento em que o PM, um sargento que seria da Força Tática de Apoio (FTA) do Ronda do Quarteirão, fardado, desfere, ao menos, dois chutes contra o cabo PM Edilson Barreto da Silva. Naquele momento, o policial ferido está à paisana e chegou a ser confundido como assaltante.  As cenas mostram o sargento se aproximando em meio à aglomeração de policiais que foram atender à ocorrência e passa a chutar a vítima que agoniza na calçada da farmácia.

Ainda na quarta-feira, logo após o episódio, o sargento foi conduzido ao Comando do Policiamento da Capital (CPC) e ouvido em Termo de Depoimento. Em seguida, liberado. Elke deverá ser afastado do trabalho de rua enquanto o fato é apurado no âmbito da própria Corporação juntamente com a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD).

Grave

O cabo Edilson e o inspetor da Polícia Civil, Olívio Gabriel Torres Júnior, envolvidos no tiroteio dentro da farmácia, permanecem internados após serem submetidos a cirurgias. Ambos ficaram gravemente feridos, a tiros, numa agressão mútua nas dependências de uma farmácia na Avenida Duque de Caxias, no Centro de Fortaleza.  A situaçãomais delicada é a do cabo, que sofreu uma grande hemorragia ao ser baleado na perna, atingindo a veia femoral. Já o inspetor recebeu um tiro no rosto.

Tudo aconteceu quando o inspetor invadiu a farmácia ao ser informado de que um homem armado estava ali, supostamente, prestes a praticar um assalto. A informação de um popular acabou gerando o incidente. Na verdade, o cabo estava ali, de folga e à paisana, comprando um medicamento. Os dois travaram luta corporal se agrediram mutuamente a tiros.

(POR FERNANDO RIBEIRO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário