Policiais civis do Ceará decretam greve em assembleia

Quarta-feira 21 de Setembro de 2016
15:30h.

Policiais civis do Ceará decretam greve em assembleia

Se não houver uma resposta do governo no prazo de 72 horas, a greve será iniciada ao meio dia do próximo sábado (24)

Os policiais civis cearenses reivindicam reajuste salarial, aumento do efetivo e proibição de desvios de funções

Categoria decidiu pela greve em votação na tarde desta quarta (21)

Em assembleia no início da tarde desta quarta-feira (21), policiais civis reunidos na Praça dos Voluntários, em frente à sede do órgão no Centro da Capital,decidiram entrar em greve. Participaram do ato, segundo os organizadores, cerca de 500 agente. A categoria já havia paralisado as atividades e apenas quatro delegacias estão funcionando em regime de plantão. 

Agora, os representantes dos policiais civis vão comunicar a decisão ao Governo do Estado que, após a notificação, terá 72 horas para se manifestar. Se não houver um retorno no prazo, a greve será iniciada ao meio dia do próximo sábado (24).

Os policiais civis cearenses reivindicam reajuste salarial, aumento do efetivo e proibição de desvios de funções. Segundo opresidente do Sinpol-CE, Francisco Lucas de Oliveira,  escrivães e inspetores têm uma reivindicação histórica: recebr o equivalente a 60% do valor do delegado. Contudo, segudno ele, "essa porcentagem não chega nem a 20% na classe inicial". O sindicalista também destaca que a custódia de presos por policiais civis é ilegal. 

A greve foi decretada ao meio-dia. Contudo, desde as 8h desta manhã os policiais haviam paralisado as atividades. Apenas quatro delegacias estão funcionando no Estado, e em regime de plantão. Na Capital, somente o 7º DP (Pirambu) e a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), no bairro São Gerardo, estão atendendo à população da Região Metropolitana.

No Interior, apenas as Delegacias Regionais de Camocim, na Região Norte, e a de Brejo Santo, na Região Sul, estão abertas. Mesmo assim, não há atendimento nem investigação. Os poucos policiais presentes nos distritos estão apenas fazendo a custódia dos presos. 

A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) funciona normalmente. Boletins de Ocorrência (B.Os) online também não sofreram impactos nestas 24 horas de paralisação. Ao todo, o Sindipol estima a adesão de aproximadamente 2.600 policiais, entre escrivães e inspetores. Os delegados não participam do movimento.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que, durante a paralisação, "a categoria tem a obrigação legal de manter, pelo menos, 30% do efetivo atendendo as demandas da população". A SSPDS afimrou ainda que "o diálogo com a categoria permanece aberto e que as solicitações dos profissionais estão sendo analisadas em conjunto com outras pastas do Governo".

(Com informações do jornalista Messias Borges.)

(Fonte: Diário do Nordeste)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Funceme fala em bom inverno no Ceará em 2017

PESSOA DESAPARECIDA EM LIMOEIRO DO NORTE

Marido assassina esposa na cidade de Pereiro