segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Boca de urna e compra de votos lideram ocorrências

 

CEARÁ

Boca de urna e compra de votos lideram ocorrências

03/10/2016 | 07:55h

O titular da Secretaria Estadual da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), Inácio Arruda (PCdoB), denunciou, na tarde de ontem, ter sofrido agressão de policiais militares da Força Tática de Apoio (FTA). A violência foi registrada em vídeo durante ocorrência de suspeita de boca de urna, próximo ao Instituto Federal do Ceará (IFCE), na avenida 13 de Maio. O secretário diz que estava no Jardim Jatobá, quando foi avisado que a filha e a diretora da União Nacional dos Estudantes (UNE) e outra pessoa foram detidas. 
 

“Fomos espancados, fui enforcado por um cabo, absolutamente louco. Minha esposa foi agredida e está sangrando no braço, foi espancada e jogada no chão”, relatou. “Receberam denúncia de que havia boca de urna e prenderam três pessoas, foi agressão de todo tipo, põem documento dentro das partes das pessoas para criar flagrante. É coisa de louco”, criticou.
 

Sobre o caso, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou, por meio de nota, que recebeu, via Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), a denúncia de possível boca de urna e que policiais militares conduziram três pessoas à sede da Polícia Federal (PF). A SSPDS informou ainda que as denúncias de excesso por parte dos policiais serão apuradas.
 

Num balanço ainda parcial da operação montada para o primeiro turno das eleições municipais, o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) registrou, até o fim da tarde de ontem, 57 ocorrências, sendo 26 de boca de urna, 13 de compra de votos, 11 de propaganda irregular, quatro de transporte irregular de eleitores, dois de fornecimento ilegal de alimentação e ainda outro não especificado. Já a PF contabilizou 28 flagrantes no Estado, sendo a maioria por compra de votos e boca de urna — foram instaurados oito autos de prisão em flagrante.
 

Um dos casos que chegou à PF foi o do vereador Zier Ferrer (PDT), que conseguiu se reeleger. Ele foi conduzido à sede da PF, por volta das 11 horas, por suspeita de boca de urna. PMs o abordaram na hora em que ele teria descido de um carro para entregar material de campanha a eleitores, no bairro Tancredo Neves. O vereador alegou que a denúncia é vazia. Ele foi liberado por volta das 15h15min. O advogado do vereador, Leandro Vasques, disse que a acusação é “absolutamente insustentável e inimaginável”.
 

No Interior, a operação apreendeu R$ 60.932 em espécie para compra de voto em Juazeiro do Norte, R$ 12.200 em Itapipoca e R$ 3 mil em Pires Ferreira. Em Fortaleza, os valores não foram divulgados, até o último balanço. Em Fortaleza, O POVO flagrou locais onde a chamada Lei Seca era descumprida. (Bruno Balacó e Thiago Paiva)

O POVO

Nenhum comentário:

Postar um comentário