sexta-feira, 7 de abril de 2017

DHPP passa por reestruturação. As ações da Especializada devem ser expandidas para o Interior, e uma Delegacia exclusiva para casos contra agente da Segurança será criada

As ações da Especializada devem ser expandidas para o Interior, e uma Delegacia exclusiva para casos contra agente da Segurança será criada
( Foto: José Leomar )

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está passando por uma reestruturação e irá receber uma nova Delegacia que apurará exclusivamente crimes contra agentes das Forças de Segurança do Estado, anunciou o titular da SSPDS, André Costa, durante o evento de assinatura da Lei que equiparou o salário dos militares do Ceará à média da categoria no Nordeste.

LEIA MAIS

.Militares têm salário igualado à média do NE 

André Costa disse que espera que a DHPP atue de forma mais especializada, ampliando a atuação que tem em Fortaleza e na Região Metropolitana para o Interior do Estado. O foco principal da Divisão será investigar crimes de grande repercussão.

O secretário citou assassinatos por ódio e preconceito, como aconteceu com a travesti Dandara dos Santos, em fevereiro deste ano; e homicídios que envolvem agentes políticos, que estarão na mira da Especializada. Na última terça-feira (4), o suplente de vereador Antônio Carlos Castro Lima, o 'Carlin do Barro Vermelho', que se candidatou em 2016 em Acarape, foi executado defronte ao hospital local.

Outra característica de crime que ganhará atenção especial da DHPP é a que tem agentes de Segurança Pública como vítima. O secretário afirmou que já assinou a Portaria que cria a sexta Delegacia da DHPP, voltada exclusivamente para elucidar crimes contra os profissionais.

"Não interessa em que lugar do Estado um policial, um bombeiro, um perito, um auxiliar de perito, independentemente do seu cargo e da sua patente, foi morto, a gente vai ter um caso especializado", justificou Costa.

Segundo o secretário, outra mudança proposta por ele à Divisão de Homicídios já está sendo posta em prática, que é trabalhar de forma mais integrada. Ele enalteceu que a DHPP já realizou operações, neste ano, com a Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), com a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) e com a Coordenadoria de Inteligência (Coin) da SSPDS. "A gente reestruturou a DHPP para melhorar o fluxo do trabalho de investigações e obter melhores resultados", completou André Costa.

© Diário do Nordeste

©Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RIO DE JANEIRO Ator Dado Dolabella é preso por não pagar pensão alimentícia. Artista deve R$ 196 mil de pensão alimentícia a filho, segundo a polícia. Ao G1, Dado disse que valor pedido é de acordo com um contrato trabalho que não existe mais.

Por Patricia Teixeira, G1 Rio Dado Dolabella é preso por não pagar pensão alimentícia O ator Dado Dolabella foi preso no início da tarde...