segunda-feira, 24 de abril de 2017

FORTALEZA Após incendiar ônibus e atacar delegacias, facção criminosa faz "acordo" com o Ministério Público e o governador e suspende os ataques. No total, 23 ônibus foram incendiados em quatro dias de ataques ordenados pela facção GDE.

No total, 23 ônibus foram incendiados em quatro dias de ataques ordenados pela facção GDE

Após um acordo com promotores de Justiça e o aval do governador Camilo Santana (PT), a facção criminosa Guardiões do Estado (GDE) decidiu cessar os atentados ao sistema de transporte coletivo de Fortaleza e sua Região Metropolitana (RMF). No entanto, os criminosos postaram novas ameaças nas redes sociais e afirmam que “apenas” mudaram a estratégia de pressionar o governo e que os alvos serão, a partir de agora, “somente” as unidades da Segurança Pública.

O “acordo” aconteceu no Presídio do Carrapicho, em Caucaia, na RMF, onde está reclusa uma boa parte dos integrantes da organização criminosa. Os bandidos reivindicam a unidade exclusivamente para a facção, mas a maioria está em outra unidade, a CPPL 2. Os detentos são contra a transferência de seus membros para outros presídios e querem tirar dali seus principais inimigos, os membros do Comando Vermelho (CV) e da Família do Norte (FDN).

A Justiça, no entanto, teve outro entendimento e apenas mudou de ala e isolou os integrantes daquela facção, em torno de 70 homens. Foram isolados aqueles que estariam sendo ameaçados de  morte ou cuja presença poderia gerar um conflito armado e com assassinatos dentro daquela unidade carcerária da Grande Fortaleza.

Tocando fogo

Nas redes sociais, os integrantes da facção chegaram a “pedir desculpas” à população pelos estragos e riscos causados durante a série de atentados na Capital e RMF em quatro dias (entre quarta-feira, 19, e o sábado, 21) que deixou o saldo de 21 coletivos incendiados, além de destruição também em incêndios criminosos veículos de órgãos públicos e privados, como do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) de Caucaia, da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e da concessionária de energia elétrica Enel, além de dois carros que estavam apreendidos no pátio do 19[i]ºDP (Conjunto Esperança).

Os criminosos atacaram também quatro delegacias da Polícia Civil, 8º DP (José Walter), 19º DP (Conjunto Esperança), 29º DP (Pajuçara/Maracanaú) e 33º DP (Goiabeiras/Barra do Ceará), além de uma agência bancária (Bradesco de Pajuçara/Maracanaú) e incendiaram uma cabine da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), instalada no bairro Rodolfo Teófilo.

Segundo a última nota oficial da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) acerca dos atentados, pelo menos, 17 suspeitos (entre adultos e adolescentes) foram detidos nas operações das polícias Civil e Militar. O número de feridos chegou a sete, incluindo um cobrador e seis suspeitos de envolvimento nos ataques criminosos.

Veja o balanço final dos ataques dos criminosos:

Ônibus do transporte urbano  incendiados (23)

Van/topique do transporte alternativo  incendiada (1)

Veículos da concessionária de luz Anel incendiados (3)

Veículos da companhia de água e esgoto Cagece incendiados (2)

Veículo Demutran/Caucaia incendiado (1)

Veículos apreendidos pela Polícia Civil  incendiados (2)

Delegacias da Polícia Civil atacadas com tiros e/ou incêndio (4)

Cabine da Guarda Municipal de Fortaleza incendiada  (1)

Jornalista Fernando Ribeiro Copyright 2016

LIMOEIRO DO NORTE-CE​: Acidente de trânsito​

Informações extraoficiais dão conta de um acidente de trânsito, que veio a ocorrer por volta de 13:00hrs, na Av. Dom Aureliano Matos, em fr...