quinta-feira, 20 de abril de 2017

ONDA DE VIOLÊNCIA Sobe para 16 total de detidos por ataques; 23 ônibus já foram alvos. Segundo o secretário de Segurança do Estado, André Costa, diversas operações estão sendo realizadas para capturar os envolvidos na onda de violência.


Polícia Militar segue abordando suspeitos nas ruas para capturar os envolvidos nos ataques em Fortaleza

Aumentou para 16 o número pessoas detidas por suspeita de envolvimento na série de ataques ao transporte público, bancos e órgãos oficiais de Fortaleza, que começou nesta quarta-feira (19) e continua acontecendo na Capital cearense e Região Metropolitana. Em coletiva realizada na tarde desta quinta-feira (20), o secretário de Segurança do Estado, André Costa, afirmou que várias operações seguem acontecendo com o objetivo de capturar mais pessoas envolvidas na onda de violência.

"Temos várias viaturas acompanhando a AMC (Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania) para garantir a segurança no trânsito. Além disso, a Polícia Civil continua as investigações para identificar e prender os envolvidos nestes atos de violência, assim como a PM (Polícia Militar) segue abordando suspeitos nas ruas", informou o secretário.

>No Facebook, Roberto Cláudio manifesta-se sobre ataques a ônibus em Fortaleza

>Sindicato diz que onda de ataques em Fortaleza se deve à falta de estrutura da Polícia Civil

>Prefeitura nega suposto toque de recolher em Fortaleza

 

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o número de ônibus atacados já subiu para 23, sendo que nem todos foram completamente incendiados. Somente nesta quinta-feira, cinco coletivos foram incendiados em diferentes áreas de Fortaleza. Os casos aconteceram em: Vila Velha (linha 221 Vila Velha/Riomar Kennedy); Castelo Encantado (linha 907 Castelo Encantado/Centro); Padre Andrade (linha 206 - Padre Andrade/Antônio Bezerra); Arvoredo/Parangaba, que foi queimado no início da tarde; e Canindezinho/Jardim Fluminense (linha 346), que deixou gravemente ferido o cobrador.

Detidos

Ainda nesta quinta-feira, a PM deteve, por volta das 15h30, na favela do Pau Fininho, no Papicu, três suspeitos de envolvimento nos ataques aos coletivos urbanos. O trio estava portando em um veículo diversos galões com combustível. Conforme a polícia, o trio pertence à Facção GDE, que, até este momento, vem assumindo os atentados em Fortaleza.

Além deles, a SSPDS já divulgou mais detalhes sobre algumas pessoas presas ao longo das operações de segurança nestes últimos dias. São elas: Fábio Tomé de Souza (18), supeito de ocorrências no bairro Prefeito José Walter; Francisco Cleiton Nascimento de Souza (24), por atuação no bairro Vila Velha; Raimundo Aliçon Caetano da Silva (19), por ocorrência no Siqueira; Francisco Bruno Pacheco da Silva (26), suspeito por ação criminosa no bairro Edson Queiroz; e Francisco Wellington da Conceição Oliveira (18), capturado na Via Expressa juntamente com dois adolescentes de 15 e 17 anos.

LEIA AINDA:

Dois veículos da Enel são atacados no bairro Cidade dos FuncionáriosCriminosos deixam bilhetes em locais onde ônibus foram atacados: 'iremos parar o Ceará'

Segundo a Pasta, muitos dos suspeitos capturados também portavam armas de fogo e drogas. A SSPDS também informou que dois suspeitos foram presos em Caucaia, nesta quinta-feira, com um carro roubado, crack e um galão de gasolina.

Comboios

Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) informou que se reuniu com a SSPDS e Prefeitura de Fortaleza, através da Etufor e Secretaria de Conservação e Serviço Público, para elaborar uma operação de segurança que garanta a normalidade do serviço de transporte coletivo de passageiros para a população.

De acordo com o sindicato, os ônibus de Fortaleza irão circular em comboios e com escolta da polícia a partir das 17h desta quinta-feira, sem previsão para o fim desta operação. 

PreviousNext

© Diário do Nordeste

©Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.

CEARÁ 17 celulares roubados têm bloqueio solicitado por dia no Ceará.

Lívia Priscilla A Polícia Civil do Ceará registrou 6.162 pedidos de bloqueio de aparelhos celulares por furto ou roubo, de janeiro ao iní...