terça-feira, 4 de abril de 2017

TRÊS DIAS APÓS O TIROTEIO Polícia identifica assaltantes de bancos mortos no confronto com o Cotar e a PF em Jaguaruana.


 

Taílton Tamaris de Sousa (paraibano)                            Ita Alves de Oliveira (paraense)

 

Guilherme Santos (paraibano)                                 Ediondas Júnior (norte-rio-grandense)

Três dias após o tiroteio entre policiais militares e federais e criminosos na cidade de Jaguaruana, na Região do Vale do Jaguaribe (a 183Km de Fortaleza), as autoridades conseguiram, até agora, identificar cinco dos mortos durante o conflito. Dois corpos permanecem na condição de indigente no Núcleo da Perícia Forense (Pefoce) da cidade de Russas.

Nas últimas horas, a Polícia identificou quatro bandidos mortos no embate. Eram dois criminosos  paraibanos, um paraense e um norte-rio-grandense. Todos tinham longas fichas criminais por conta do envolvimento em ataques a bancos e carros-fortes, além de participação em formação de quadrilhas ou bandos, porte ilegal de armas e outros delito.

Nomes

O primeiro a ser identificado foi o bandido Ediondas Duarte Costa Júnior, 30 anos,  o “Júnior Bombado”, natural da cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, apontado como explosivista” da quadrilha, isto é, o bandido que manipulava os artefatos usados para a destruição de caixas eletrônicos e cofres bancários.

O segundo identificado era o paraibano Guilherme Santos da Silva, 29 anos, o “Nino Borracheiro”, natural do Município de Campina Grande, dono de uma longa ficha de antecedentes criminais e tido como de alta periculosidade no seu estado, tendo sido preso várias vezes por ataques a bancos.

O terceiro bandido morto e identificado tratava-se de Ita Alves de Oliveira, 25 anos, o “Júnior”, paraense da cidade de Redenção.

O quarto morto foi reconhecido e identificado como Taílton Tamaris de Sousa, 18 anos, natural do Município de Jericó, no Interior da Paraíba.

O quinto assaltante morto tratava-se do paraibano Luciano Sebastião de Araújo, 33 anos, natural da cidade de Lagoa. Em 2013, ele foi cercado e preso pela PM paraibana na cidade de Lagoa da Roça com cerca de 150 quilos de maconha e oito quilos de crack. Na época, ele já fazia assaltos a bancos. 

Jornalista Fernando Ribeiro Copyright 2016

AGRESSÃO EM ESCOLA Promotora pedirá internação de estudante que agrediu professora em Santa Catarina. Como o aluno é reincidente, ela planeja "uma medida mais dura". O caso ocorreu nesta segunda-feira (21)

por Folhapress Marcia Friggi dá aulas de português em mais de uma escola de Indaial, há 12 anos. Ela ficará sete dias em casa, de atestado...