quarta-feira, 10 de maio de 2017

ESTADO DO CEARÁ Governo cedeu ao PCC e facção ocupou a CPPL 3, de onde seus "cabeças" seriam resgatados por ordem de "Marcola". "Carioca" voltou ao Ceará para comandar o resgate, que teria sido ordenado por "Marcola". (Saiba mais)

"Carioca" voltou ao Ceará para comandar o resgate, que teria sido ordenado por "Marcola"

Fontes da Justiça do Ceará revelaram, com exclusividade para o portal cearanews7.com que o PCC  (Primeiro Comando da Capital) foi a primeira facção criminosa com atuação no Ceará a fazer um “acordo” com a Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus). A organização criminosa exigiu das autoridades a transferência de seus membros para uma só unidade do Sistema Penitenciário local. Diante das ameaças de novos ataques em Fortaleza, o governo do Estado  cedeu.  Isso aconteceu no começo do ano e o local “escolhido” pelo PCC para se isolar das demais facções foi a CPPL 3.

Ainda de acordo com as fontes da Justiça, ontem foi dado um alerta máximo do governo às cúpulas dos setores Segurança Pública e do Sistema Penitenciário. A medida foi tomada após a desarticulação do plano que tinha como objetivo o resgate de líderes do PCC. O risco de uma nova onda de atentados na cidade, como represália pela ação da Polícia, não está descartado.

Ainda na tarde de ontem (9), as autoridades discutiam sobre onde deverá ficar preso o bandido que estava no comando do plano para resgatar os chefões do PCC na Casa de Privação Provisória da Liberdade Professor Jucá Neto, a CPPL 3. O cearense Antônio Carlos de Souza, o “Carioca”.  Depois de autuados em flagrante no 10º DP (Antônio Bezerra) por crimes de porte ilegal de armas e formação de quadrilha no 10º DP (Antônio Bezerra), “Carioca” e quatro comparsas também detidos  foram transferidos para a carceragem da Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), no Centro.

A Polícia descobriu que o criminoso estava em Fortaleza há, pelo menos, dois meses, após fugir da Penitenciária de Segurança Máxima da cidade de Venceslau Brás, no Interior de São Paulo. Estava utilizando documentos falsos e era o homem do PCC responsável por arregimentar homens e armas para o ataque à CPPL 3.

Cerco e prisões

O resgate dos chefões locais do PCC deveria ocorrer nos próximos dias ou horas, mas o plano acabou sendo frustrado graças à ação rápida do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e do Comando de Policiamento Especializado (CPE).

Após um cerco com troca de tiros no bairro Quintino Cunha, na zona Oeste de Fortaleza, na madrugada desta terça-feira (9), “Carioca” e seus comparsas foram capturados com armas de grosso calibre. Outros três criminosos que haviam conseguido furar o cerco do Comando Tático Motorizado (Cotam), acabaram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no Anel Viário, em Maracanaú.

“Marcola”

A Inteligência da Polícia Militar descobriu também que, antes de retornar a Fortaleza para comandar o resgate de comparsas do PCC, “Carioca” estava preso no mesmo presídio paulista onde também cumpre pena o bandido considerado o “número um” do PCC, o traficante de drogas Marcos Herbas Camacho, o “Marcola”. Diante disso, as autoridades não descartam que a ordem para o resgate dos líderes locais da facção tenha sido uma ordem direta de “Marcola” a “Carioca”. 

Jornalista Fernando Ribeiro Copyright 2016

Brasil registra 28 mil homicídios no 1º semestre

Marco Antônio Carvalho No Recife    Leo Martins/Agência O Globo Homem morre após tiroteio no Rio; número de homicídios no país cresce ...