terça-feira, 9 de maio de 2017

HOMICÍDIO Travesti é fuzilado à queima-roupa dentro do escritório do Sine/IDT da cidade de Itaitinga. "Jennifer", 24 anos, foi executada com vários tiros quando buscava uma vaga de emprego.

"Jennifer", 24 anos, foi executada com vários tiros quando buscava uma vaga de emprego

Mais um caso de assassinato de travesti está sendo investigado pela Polícia no Ceará, com suspeita de crime provocado por homofobia. O caso ocorreu na tarde desta segunda-feira (9) nas dependências do escritório do Sine/IDT (Sistema Nacional de Emprego/Instituto de Desenvolvimento do Trabalho) da cidade de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

Conforme testemunhas, dois homens invadiram o local usando capacetes e foram até uma sala de atendimento onde estava o jovem Jéferson Kauã Holanda, 24 anos, que era conhecido por “Jennifer”. Naquele momento, ele estava preenchendo um formulário de emprego, quando foi surpreendido e morto com vários tiros na cabeça.

Para a Polícia o crime foi de execução sumária, pela quantidade de tiros disparados e a forma como os criminosos agiram. Nada foi roubado da vítima, o que, a princípio, descarta a hipótese de um caso de latrocínio (roubo seguido de morte).

Investigação

Duas linhas de investigação estão sendo consideradas pela Polícia. A primeira, seria uma vingança, pois o travesti havia registrado um Boletim de Ocorrência (B.O.) em que denunciou, recentemente, ter sofrido de preconceito e ameaças homofóbicas.  A pessoa denunciada será investigada.

Outra hipótese diz respeito à suspeita de que “Jennifer” teria participado de um crime de roubo no modo do golpe “Boa-Noite Cinderela”, isto é, teria topado um homem e roubado todo o seu dinheiro.

Testemunhas contaram que dois homens chegaram de moto no escritório do Sine/IDT de Itaitinga, na Rua Ana Amélia de Sousa/Centro, e um deles entrou no prédio indo até a sala onde o travesti se encontrava. Se certificou que “Jennifer” estava ali.  Em seguida, voltou até onde comparsa estava. Os dois invadiram novamente o local, entrando na sala de atendimento e já dispararam os tiros à queima-roupa contra a vítima, que teve morte instantânea.

Veja os casos de travestis mortos no Ceará neste ano:

1 – (12.02) Hérika Izidório – Espancada e jogada do alto de uma passarela localizada na Avenida José Bastos, morreu semanas depois no IJF-Centro.

2 – (20.02) - Antônio Cleílson Ferreirade  Vasconcelos, a “Dandara”, morreu após sofrer espancamentos e tiros e ser arrastada por ruas do bairro Bom Jardim.

3 – (19.04) – Antônio Cristiano da Silva, a “Priscilla”, agredido a pauladas e chutes na Avenida Juscelino Kubisthchek, no bairro Castelão. Morreu dias depois no IJF-Centro.

4 – (8.05) – Jéfferson Kauã Holanda, a “Jennifer”, morta a tiros dentro do escritório do Sine/IDT na cidade de Itaitinga.

Jornalista Fernando Ribeiro Copyright 2016

VAGAS Oportunidade de Emprego (Aracati, Limoeiro e Russas) 18/10/2017 4ª Feira

VAGAS Oportunidade de Emprego (Aracati, Limoeiro e Russas) 18/10/2017   4ª Feira   📅