terça-feira, 30 de maio de 2017

PROCURADOS Dois supostos executores de agente penitenciário fugiram. Dois suspeitos de executar o agente penitenciário Reginaldo Soares da Silva estão entre os fugitivos da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A ocorrência se deu na madrugada de sábado (27).


Os presos fugiram da Especializada, na madrugada de sábado (27), após serrarem as grades de uma cela e deixarem o prédio sem serem vistos
( Foto: José Leomar )

Dois suspeitos de executar o agente penitenciário Reginaldo Soares da Silva estão entre os fugitivos da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A ocorrência se deu na madrugada de sábado (27). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), 13 presos fugiram da Especializada, após serrarem as grades de uma cela e deixarem o prédio sem serem vistos pelos policiais civis. Nove continuam foragidos, dois se apresentaram e um foi recapturado.

Os nomes dos fugitivos foram divulgados pelo Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará (Sinpol-CE), mas a SSPDS não confirmou. Entre os detentos que escaparam estariam Diego da Silva Ferraz, conhecido como 'Maguim', 19; e João Gabriel Mendes Paiva, o 'Marreta', 21, que foram presos, no dia 9 de dezembro do ano passado, sob a suspeita de executarem um agente penitenciário.

A dupla, que pode ter agido em conluio com outros criminosos, teria recebido ordens que partiram de detentos que são custodiados em uma unidade penitenciária do Ceará, segundo a investigação da DHPP.

A motivação do crime planejado seria a suspeita de que o agente Reginaldo Silva estivesse denunciando traficantes de drogas do Bom Jardim à Polícia.

Segundo uma fonte da Polícia Civil, 'Marreta' e 'Maguim' já tinham sido encaminhados ao Sistema Penitenciário. No entanto, relataram estar sofrendo maus-tratos na unidade prisional e foram encaminhados à DHPP, a pedido do Ministério Público do Estado (MPCE). Eles chegaram à Divisão de Homicídios na véspera dos ataques contra coletivos e prédios e públicos, ocorridos em Fortaleza, em abril.

A fonte revelou também que não foram 13 fugitivos, mas 14. "O 14º é suspeito de matar o sargento PM Brás. A fuga só foi percebida, porque ele retornou no início da manhã e contou aos policiais que estavam de plantão o que tinha acontecido".

De volta

Quem também deixou a DHPP na fuga em massa foi Ariel Pereira de Sousa, 19, acusado de assassinar o advogado Paulo Sérgio Jucá Alves Garcia, em um assalto dentro das Lojas Americanas, da Avenida Dom Luís, no dia 1º de abril. Ariel foi preso no dia 12 do mesmo mês, no município de Barreira, e confessou ter atirado duas vezes contra a vítima, mas disse que o alvo da ação criminosa era o estabelecimento comercial. Ele foi o único recapturado pela Polícia, na casa de parentes, no dia em que fugiu.

Diego de Deus Cassimiro, 26, também fugiu da Especializada, mas retornou. Ele se apresentou à Polícia e está novamente encarcerado. Cassimiro é acusado de planejar o assalto que terminou na morte do comerciante português Nuno Antônio Torres Portugal, 39, no Montese, ocorrido em outubro de 2016.

© Diário do Nordeste

©Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual o seu bar preferido em Limoeiro do Norte?

Qual o seu bar preferido? O município de Limoeiro do Norte hoje conta com bares que são um verdadeiro ponto de encontro da galera.  ...