quarta-feira, 17 de maio de 2017

PROMESSA FALSA Golpe do emprego faz 65 vítimas. Com uma promessa de emprego na Companhia Docas do Ceará, 65 pessoas foram vítimas de um golpe. Ontem, 12 denúncias foram registradas na Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF). As vítimas dizem ter sido enganadas por John Elton Vasconcelos, 28, que estaria prometendo os cargos terceirizados.


O delegado Jaime Paula Pessoa disse que os alvos do golpe eram sempre desempregados, com condições psicológicas fragilizadas
( Foto: Thiago Gadelha )

Com uma promessa de emprego na Companhia Docas do Ceará, 65 pessoas foram vítimas de um golpe. Ontem, 12 denúncias foram registradas na Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF). As vítimas dizem ter sido enganadas por John Elton Vasconcelos, 28, que estaria prometendo os cargos terceirizados.

Segundo a DDF, o suposto golpista dizia que o emprego oferecido, só seria conquistado mediante o pagamento de mil reais. Ele exigia R$ 500 como entrada e o restante deveria ser dado no momento de ingresso na Companhia. O grupo apontou que, pelo menos, outras 53 pessoas caíram no 'Golpe do Emprego'.

O titular da DDF, delegado Jaime Paula Pessoa Linhares detalha como acontecia o golpe. Segundo ele, John Elton afirmava que tinha um cunhado trabalhando na Docas e que precisava contratar novos funcionários. Dizia, também, que era necessário que os trabalhadores fossem até uma clínica para serem submetidos a exames laboratoriais.

"Bastava chegar em uma dessas três clínicas, dar o nome dele e pronto. Só que ele ficou devendo a essas clínicas também. Uma delas ficou com prejuízo de R$ 2.800", contou o delegado.

A oferta de emprego ganhou força. O suspeito chegava até outras pessoas a partir de indicações das próprias vítimas. No decorrer do processo para o ingresso na Docas, John Elton promovia reuniões defronte ao prédio da Companhia, mas nunca colocou ninguém lá dentro.

"Fazia sempre reuniões do lado de fora, desde dezembro. Ele dizia às vítimas que houve uma denúncia e suspenderam a contratação, mas ele iria colocar grupos de cinco em cinco para trabalhar. Veio sempre protelando e não parou de constituir outros grupos de vítimas", contou Jaime Paula Pessoa.

Quando pediram de volta o valor que tinham investido e se cansaram das promessas, as vítimas se deram conta que haviam caído em um golpe. "Os alvos eram sempre desempregados, com condições psicológicas fragilizadas. Muitos casados, com filhos e dívidas. Alguns pediam até dinheiro emprestado para pagar esses R$ 500 iniciais", conta o titular da DDF.

Até o momento, há confirmação de vítimas moradoras do Conjunto Ceará, Montese e Serrinha. Na DDF já foram instaurados dois inquéritos contra John Elton. O delegado conta que há a informação de que, ontem, o suspeito teria se apresentado no 10ºDP (Antônio Bezerra), mas informação não foi confirmada. A Polícia Civil investiga se o suspeito atuava com a ajuda de algum comparsa. Os nomes das três empresas prestadoras de serviço que ele indicava prestam serviços para a Docas.

© Diário do Nordeste

©Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.

AGRESSÃO EM ESCOLA Promotora pedirá internação de estudante que agrediu professora em Santa Catarina. Como o aluno é reincidente, ela planeja "uma medida mais dura". O caso ocorreu nesta segunda-feira (21)

por Folhapress Marcia Friggi dá aulas de português em mais de uma escola de Indaial, há 12 anos. Ela ficará sete dias em casa, de atestado...