terça-feira, 9 de maio de 2017

PROTESTO Motoristas e cobradores paralisam terminais em protesto após morte de colega. Profissional ficou gravemente ferido por não ter conseguido sair rapidamente do ônibus que foi incendiado na tarde do dia 20 de abril, no bairro Siqueira.

José Nunes era cadeirante e teve dificuldades de sair do ônibus em chamas, no Siqueira


Motoristas e trocadores estão com as atividades suspensas na manhã desta terça-feira (9) em alguns terminais de passageiros de Fortaleza. O motivo é um protesto pela morte do trocador que havia sido lesionado durante a onda de ataques do crime organizado em Fortaleza, há duas semanas.

O cobrador José Nunes de Sousa Neto, 56 anos, paraplégico, teve quase todo o corpo inteiro atingido pelo fogo durante um dos ataques de membros de uma facção ao sistema de transporte coletivo da Capital. Depois de mais de 15 dias internado na Unidade de Queimados do Instituto Doutor José Frota, ele não resistiu e faleceu nesta segunda-feira (8).

O atentado contra o ônibus onde trabalhava Nunes aconteceu no último dia 20 de abril. Ele estava em um ônibus que trafegava pelo bairro Siqueira (zona Sul da Capital)(, quando o coletivo foi atacado e incendiado, Por ser cadeirante, Nunes teve dificuldades de deixar o veículo e acabou ficando muito ferido, sendo socorrido por populares.

Protesto

Segundo informações de usuários do sistema de transporte coletivo, nesta manhã está havendo paralisação no Terminal do Siqueira, na zona Sul da cidade, por onde passam coletivos das linhas que servem os bairros do Grande Bom Jardim e do Jangurussu.

As paralisações nos terminais são pontuais e têm o propósito de chamara a tenção da população e das autoridades sobre a insegurança nas linhas. Durante a série de atentados em Fortaleza, cerca de 50 coletivos foram incendiados. Ao menos, 18 pessoas foram detidas como suspeitas dos ataques informou  o sindicato das empresas de ônibus – Sindiônibus.


Ceará News 7

© 2017 CopyrightGrupo Ceará Sat