terça-feira, 30 de maio de 2017

TRIBUNAL DE JUSTIÇA CEARÁ TJCE transfere julgamento de acusados de pistolagem no Vale do Jaguaribe para Fortaleza. A Seção Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) determinou, nesta segunda-feira (29/05), que os réus Genilson Torquato Rocha Almeida, José dos Santos Vieira Júnior, Francisco Antônio Peixoto Sousa e Francisca Everlanja Peixoto Sousa sejam julgados em Fortaleza. Eles fariam parte de grupo criminoso conhecido por “Filhos de Senhorzinho Diógenes”, acusados de homicídio em Jaguaretama.


A relatora do caso, desembargadora Francisca Adelineide Viana, justificou a decisão em virtude “das características do crime que tem a conotação de pistolagem, bem assim, o grau de envolvimento dos requeridos [acusados] com bando criminoso em atuação na região do Jaguaribe, evidencia-se a alta periculosidade dos requeridos e a ameaça à imparcialidade dos jurados e à garantia da ordem pública”.

Segundo o Ministério Público do Ceará (MPCE), os denunciados teriam matado Francisco Adauto Nogueira, em 2008. O motivo seria a rivalidade entre bandos criminosos. Além disso, eles estariam envolvidos com tráfico de drogas e outros homicídios, entre os quais a morte do chefe do destacamento da Polícia Militar de Jaguaretama, subtenente Carlos Herbênio Almeida, ocorrida em fevereiro de 2016.

Em dezembro de 2014, o Juízo da Vara Única de Jaguaretama pronunciou o grupo, determinando que fossem julgados pelo Conselho de Sentença do Tribunal do Júri daquele município, pelo homicídio de Francisco Adauto.

Alegando haver dúvidas a respeito da imparcialidade do júri, em função do temor da comunidade local diante dos acusados, o MPCE ingressou com pedido de desaforamento (nº 0001136-34.2016.8.06.0000) no TJCE. Requereu a transferência do julgamento dos réus, de Jaguaretama para Fortaleza.

A defesa dos acusados pediu o indeferimento da requisição. Argumentou não existirem elementos concretos sobre a imparcialidade dos jurados.

Ao julgar o caso, a Seção Criminal atendeu ao pedido do Ministério Público, por unanimidade. A desembargadora Adelineide Viana explicou que o próprio Juízo da comarca se manifestou a favor da mudança, não só por causa da imparcialidade dos jurados, mas também pelo “interesse da ordem pública”.

A magistrada destacou ainda que a “Comarca de Fortaleza é onde se observam melhores condições para julgamento, tanto no que pertine à garantia da imparcialidade dos jurados como à própria segurança na realização do ato”.

Fonte: Tv Jaguar / TJCE

BOLETIM POLICIAL VALE DO JAGUARIBE - 18/12/2017: Homicídio a bala em Icapuí, prisão por roubo e apreensão por arma de fogo em Aracati.

Neste domingo, dia 17, por volta das 23h, na localidade de Santa Tereza, zona rural, PMs foram informados de que cerca de quatro indivíduos...