sexta-feira, 2 de junho de 2017

CGD Controladoria esclarece que não participou da ocorrência nem escoltou suspeito de atirar em PM. A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD), através de sua Assessoria de Imprensa, esclarece que a instituição não foi acionada nem participou da ação policial que resultou na prisão de um bandido suspeito de tentar contra a vida de um policial militar, fato ocorrido na noite da última quarta-feira (31), em Fortaleza.

O suspeito foi autuado em flagrante na DHPP por tentar matar o PM

O episódio ocorreu na zona Leste da Capital, quando um policial militar, identificado como Soldado Xavier, pertencente ao Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), foi baleado no bairro Serviluz. Pouco tempo depois, após uma série de diligências na área, a Polícia Militar deteve um dos suspeitos do crime. Trata-se de Aaron Faustino Braúna, que também ficou ferido e foi encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Praia do Futuro.

Em matéria publicada sobre o assunto, oblogdofernandoribeiro.com.br informou erroneamente que agentes da CGD teriam ido ao hospital e assumido a escolta de Aaron, sendo dispensada a presença dos policiais militares que haviam feito a prisão, gerando insatisfação dos PMs. No entanto, a instituição esclarece que não teve nenhuma participação do episódio. “A CGD não foi acionada para essa ocorrência e não chegou a comparecer ao local.” E mais: “A ocorrência mencionada faz referência a um fato envolvendo policial militar em situação de vítima, motivo pelo qual o suspeito foi conduzido para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, delegacia com atribuição para o caso, onde foi autuado por  infração ao artigo 121, c/c 14, II do Código Penal, e o procedimento tombado através de inquérito policial”.

E conclui: “Dessa forma, reitera-se que a CGD e nenhum dos componentes de sua equipe sequer foram acionados ou estiveram no local mencionado na referida reportagem”.

Jornalista Fernando Ribeiro Copyright 2016

Pedófilo é preso pela Polícia Civil com 500 imagens ilícitas envolvendo meninas de 11 a 14 anos.

Investigações realizadas pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Icó – Área Integr...