terça-feira, 20 de junho de 2017

EM MENOS DE SEIS MESES "Guerra" do tráfico deixa rastro de sangue com 75 mortos em Horizonte e Pacajus em seis meses. Os municípios de Pacajus e Horizonte, no Vale do Caju, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) passam por momentos difíceis na Segurança Pública. Em menos de seis meses, as duas cidades já contabilizaram, ao menos, 75 casos de assassinatos, incluindo uma chacina recente. A falta de policiamento e de investimento dos gestores municipais tem levado a índices alarmantes de homicídios e roubos.

Na noite do último dia 12, cinco pessoas foram mortas em um bar, no bairro Diadema I, Horizonte

Entre as cinco pessoas mortas na chacina, duas mulheres e um menino de apenas 3 anos

Em Pacajus, execuções sumárias acontecem à luz do dia em bairros dominados pelo tráfico

Os municípios de Pacajus e Horizonte, no Vale do Caju, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) passam por momentos difíceis na Segurança Pública. Em menos de seis meses, as duas cidades já contabilizaram, ao menos, 75 casos de assassinatos, incluindo uma chacina recente. A falta de policiamento e de investimento dos gestores municipais tem levado a índices alarmantes de homicídios e roubos.

Em Pacajus (49km de Fortaleza), 44 pessoas foram assassinadas entre janeiro e junho. São crimes brutais e que, em sua maioria, ocorrem à luz do dia e são marcados por características de execução sumária. Pessoas estão sendo fuziladas dentro de veículos, nas ruas centrais e dentro de casa na periferia.

O mesmo acontece em Horizonte, onde foram registrados 41 homicídios no mesmo intervalo. Um dos mais recentes casos foi uma chacina que deixou cinco mortos em um bar onde ocorria uma festa de aniversário. Entre os mortos está uma criança de apenas 3 anos de idade.

No último fim de semana – feriadão de Corpus Christi – mais duas pessoas foram mortas em Horizonte e outra em Pacajus, em crimes que ainda estão sendo investigados pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Redução

Em Pacajus, a redução inexplicável da quantidade de viaturas do Policiamento Ostensivo Geral e do Ronda do Quarteirão tem contribuído para o aumento elevado dos casos de assassinatos e roubos. Segundo moradores, antes, havia ao menos quatro patrulhas circulando diariamente pela cidade e sua zona periférica. Hoje, há somente uma viatura e esta tem que também atuar no Município vizinho, Chorozinho. Com a cidade descoberta de policiamento, os criminosos “fazem a festa”.

O intenso tráfico de drogas e a disputa por território entre traficantes em Pacajus tem gerado assassinatos principalmente nos bairros Centro, Aldeia Park, Croatá e Banguê,  além das localidades de Tiririca, Loteamento Estrela e Alto da Boa Vista.

Já em Horizonte (40 Km da Capital), os focos dos assassinatos e tiroteios diários entre traficantes são os bairros Catolé, Diadema, Planalto Horizonte e Zumbi.

Na noite do último dia 12, uma chacina abalou os moradores do bairro Diadema I. No interiuor de um bar, na Rua Baturité, foram mortas, a tiros, cinco pessoas, identificadas como: Herton Ricardo da Silva Menezes, Marcilândio Cavalcante Sousa, Rafaela Alves Silveira, além de Bruna Viana e seu filho, o menino Gabriel de Sousa Moura, de apenas 3 anos. 

Jornalista Fernando Ribeiro Copyright 2016

EXCLUSIVO: Preso em Fortaleza traficante chefe do Comando Vermelho em Santa Catarina

Leandro Madalena Schlosser, 27 ano, foi capturado ao chegar em seu apartamento, no Cambeba   Uma operação conjunta do Batalhão de P...