segunda-feira, 3 de julho de 2017

AQUIRAZ Suspeitos de participar de chacina são identificados. O crime completa um mês nesta segunda-feira (3). Ao todo, 39 testemunhas já foram escutadas.


Foto: Arquivo

Um mês após seis pessoas serem mortas em uma casa de veraneio no Porto das Dunas, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza, a Polícia Civil afirma ter identificado suspeitos de participar do crime, que é investigado pela da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), entre os suspeitos que foram identificados, está João Guilherme da Sivla Fernandes (22), o "Branquinho", morto em confronto com policiais civis no último dia 08 de junho, em uma ocorrência na localidade de Tapera, no Aquiraz, quando a Polícia evitou uma nova chacina. As armas apreendidas na ocorrência da Tapera foram encaminhadas para a Perícia Forense (Pefoce), onde passam por perícia para saber se foram utilizadas no crime do dia 03.

Além da identificação de João Guilherme, uma pessoa foi presa, por força de mandado de prisão temporária, por participação no crime, e 39 pessoas foram ouvidas nas condições de testemunhas.

De acordo com testemunhas, um grupo armado invadiu a residência onde acontecia a comemoração e efetuou vários disparos em quem estava no local. Segundo testemunhas, o bando chegou em dois veículos, sendo um Renegade e o outro um Siena. Um dos automóveis invadiu a casa de praia dando uma ré atingindo o portão.

Áudios que seriam de possíveis sobreviventes foram compartilhados via WhatsApp. Em um dos arquivos uma pessoa aparece pedindo socorro: "pelo o amor de Deus, liga para a Polícia. Eles foram atrás de 'tudinho'. Eu fui rastejando, o resto que sobreviveu estava lá em cima. Eles mataram todo mundo", diz um homem que estaria na casa.

Entre as vítimas estava Davi Saraiva Benigno que havia sido preso em novembro de 2015 sob a acusação de liderar uma quadrilha de tráfico de drogas sintéticas.

 

POR PORTAL C NEWS

Pedófilo é preso pela Polícia Civil com 500 imagens ilícitas envolvendo meninas de 11 a 14 anos.

Investigações realizadas pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Icó – Área Integr...