sexta-feira, 15 de setembro de 2017

PF faz "Operação Marco Zero" e desarticula quadrilha que aplicou golpe contra a Caixa Econômica no Ceará


Policiais cumpriram mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal em Sobral

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (15), mais uma operação de combate a fraudes e contra o sistema financeiro. O “alvo” desta vez são duas cidades da Zona Norte do estado, Sobral e Marco. Os agentes e delegados cumprem seis mandados de busca e apreensão expedidos pela 18ª Vara da Justiça Federal sediada em Sobral. As fraudes contra a Caixa Econômica Federal chegam a cerca de R$ 3 milhões através da concessão de empréstimos fraudulentos.

Segundo  o comunicado feito à Imprensa pela Assessoria de Comunicação da PF, em Fortaleza, a ação policial desta sexta-feira  foi batizada de  “Operação Marco Zero” e  visa “identificar e pormenorizar a conduta de integrantes de uma organizado criminosa voltada à prática de fraudes  contra a Caixa”.

Nas investigações realizadas até o momento, foi possível descobrir que a quadrilha é formada  por funcionários do banco, empresários, contadores e pessoas físicas que figuram como sócias ou “laranjas” de empresas de fachada, criadas exclusivamente para que seus donos obtenham empréstimos junto à Caixa.

Saques

A organização criminosa agia, inicialmente, aliciando pessoas (“laranjas”) para integrar o quadro societário das empresas  de fachada”. Na sequência, o grupo se ocupava de elaborar documentos falsos para habilitar os pedidos de empréstimos na CRF.  Posteriormente, os servidores envolvidos manipulavam o processo de concessão do crédito, ignorando normas básicas de segurança, bem como se furtando de verificar a autenticidade  da documentação necessária, inclusive, inserindo falsos dados nos sistemas corporativos da Caixa.

Aprovada a concessão do empréstimo, o passo seguinte da quadrilha era sacar os valores em espécie ou transferi-los  para as contas de terceiros (pessoas físicas e jurídicas, quando não, destinados a maquiar a dívida originária, viabilizando a obtenção de novos empréstimos com quantias mais elevadas.

Ainda de acordo com a PF, as medidas judiciais cumpridas nesta manhã visam colher mais indícios e provas da participação de cada um dos membros da organização criminosa, bem como, rastrear e recuperar o dano causado ao erário. Os investigados vão responder por crimes como: corrupção ativa, corrupção passiva, crime contra o sistema financeiro, “lavagem” de dinheiro, enriquecimento ilícito e organização criminosa.

Jornalista Fernando Ribeiro Copyright 2016

HORÓSCOPO DO DIA 24 DE SETEMBRO DE 2017

Áries 21/03 a 20/04 regente: Marte Os aspectos que Lua e Mercúrio formam entre as oitava e sexta casas indicam um dia positivo para aprov...