quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Promotor pede afastastamento do prefeito Bismarck Maia e bloqueio de bens no caso Acquario

O promotor de Justiça Ricardo Rocha encaminhou a uma das Varas da Fazenda Pública de Fortaleza o pedido de afastamento por 180 dias contra o prefeito de Aracati, Bismarck Maia (PTB).
Na denúncia, o promotor pediu ainda o bloqueio e indisponibilidade dos bens de Bismarck na ação que apura irregularidades no gasto de R$ 136 milhões no Acquario Ceará. O prefeito era secretário de Turismo da gestão Cid Gomes (PDT) à época.
Para o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), Bismarck, mesmo não estando mais à frente da Secretaria do Turismo, deve ser afastado para evitar que use sua influência política como prefeito de uma das cidades mais importantes do Ceará para obstruir a Justiça. O Acquario Ceará já é alvo de três procedimentos, sendo dois cíveis e um criminal, que apura a prática de eventuais crimes na obra e deve ser concluído com a denúncia contra os envolvidos.
Ainda segundo o MPCE, o processo de capitação de verbas para o Acquario passou por um banco americano, que foi fechado pelo congresso americano pouco tempo após o início da obra; uma empresa brasileira também envolvida no levantamento de verbas também foi extinta, como comprovou a instituição através da Junta Comercial cearense.
O promotor Ricardo Rocha afirmou ainda, durante entrevista ao programa Da Hora, da TV União, que o aquário construído no Rio de Janeiro, com as mesmas medidas do que seria montado no Ceará, custou R$ 120 milhões e foi feito pela iniciativa privada. Já o cearense, foi orçado em R$ 300 milhões, na gestão Cid, e, após gasto de R$ 136 milhões em verba pública, segue sem definição de conclusão.
Fonte: Ceará News 7

Cotar prende parte da quadrilha que explodiu agência do Bradesco em Novo Oriente

Dinheiro queimado, armas, munições e celulares foram apreendidos em poder dos acusados                                        A quadril...