quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Promotor pede afastastamento do prefeito Bismarck Maia e bloqueio de bens no caso Acquario

O promotor de Justiça Ricardo Rocha encaminhou a uma das Varas da Fazenda Pública de Fortaleza o pedido de afastamento por 180 dias contra o prefeito de Aracati, Bismarck Maia (PTB).
Na denúncia, o promotor pediu ainda o bloqueio e indisponibilidade dos bens de Bismarck na ação que apura irregularidades no gasto de R$ 136 milhões no Acquario Ceará. O prefeito era secretário de Turismo da gestão Cid Gomes (PDT) à época.
Para o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), Bismarck, mesmo não estando mais à frente da Secretaria do Turismo, deve ser afastado para evitar que use sua influência política como prefeito de uma das cidades mais importantes do Ceará para obstruir a Justiça. O Acquario Ceará já é alvo de três procedimentos, sendo dois cíveis e um criminal, que apura a prática de eventuais crimes na obra e deve ser concluído com a denúncia contra os envolvidos.
Ainda segundo o MPCE, o processo de capitação de verbas para o Acquario passou por um banco americano, que foi fechado pelo congresso americano pouco tempo após o início da obra; uma empresa brasileira também envolvida no levantamento de verbas também foi extinta, como comprovou a instituição através da Junta Comercial cearense.
O promotor Ricardo Rocha afirmou ainda, durante entrevista ao programa Da Hora, da TV União, que o aquário construído no Rio de Janeiro, com as mesmas medidas do que seria montado no Ceará, custou R$ 120 milhões e foi feito pela iniciativa privada. Já o cearense, foi orçado em R$ 300 milhões, na gestão Cid, e, após gasto de R$ 136 milhões em verba pública, segue sem definição de conclusão.
Fonte: Ceará News 7

Até o fim de dezembro reforço da segurança em Fortaleza terá duas torres de vigilância blindadas

SIRENE ABERTA Fernando Ribeiro Cada torre terá nas ruas do seu entorno dezenas de câmeras de altíssima potência Estão aceleradas as obra...