quarta-feira, 20 de setembro de 2017

SP Menina de 2 anos é espancada e morta, e os relatos da mãe chocam a todos. O crime aconteceu na cidade de Porto Ferreira (SP). Corpo da criança foi levado para o Instituto Médico Legal de São Carlos.


Uma menina de apenas 2 anos de idade morreu vítima de espancamento na cidade de Porto Ferreira (SP), e os suspeitos são os próprios tios.

Maria Clara da Silva Oliveira Caetano chegou ao pronto-socorro na noite de segunda-feira com vários hematomas espalhados pelo corpo, e não resistiu aos ferimentos.

O médico que atendeu a menina disse que ela tinha ferimentos no rosto, peito e nos braços, e imediatamente ele acionou a Polícia Militar que prendeu o casal.

O casal tinha a guarda da criança porque a mãe alegava passar por problemas financeiros, por isso, não tinha condições de manter no sustento da menina.

O casal chegou ao Fórum junto com Polícia Civil.

A juíza que os ouviu disse que eles vão continuar presos.

Maria Clara da Silva Oliveira Caetano morava com os tios em um sítio localizado à beira de uma rodovia, em Porto Ferreira.

Alguns vizinhos foram ouvidos por uma equipe de reportagem do site G1 e disseram que a criança parecia ser bem tratada. Os vizinhos ainda falaram que ela mostrava estar feliz na presença da menina, pois a tia dizia que queria ter um filho.

Muitas pessoas que moram perto do sítio ficaram abaladas com a notícia, pois diziam que eles compravam tudo para ela.

O corpo da menina foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) de São Carlos.

Desconfiança das agressões

A mãe começou a desconfiar das agressões porque via a menina constantemente com hematomas pelo corpo, e os tios sempre inventavam desculpas. Os pais sempre a visitavam e os tios já estavam há 9 meses com a guarda da criança.

A mãe de Maria Clara, Aline Roberto da Silva, disse em entrevista que a menina sempre aparecia com roxos nas pernas, nos braços, e quando perguntava para a irmã, ela dizia que a menina caía de moto, ou de bicicleta. Toda vez era a mesma desculpa.

A mãe de Ana Clara ainda disse que a tia não gostava das visitas feitas por ela, e não gostava que a menina a chamasse de mãe.

"Toda vez que eu chegava lá minha filha falava 'mamãe, mamãe', e ela não gostava, dizia: 'não chama de mãe, não, chama de Aline'. Não gostava que me chamasse de mãe", disse ela.

O pai disse que eles só negavam e nunca falavam a verdade, até que aconteceu o crime, e os médicos constataram as agressões.

Os tios da menina estão presos preventivamente, suspeitos de cometerem o crime de homicídio qualificado. O rapaz no centro de triagem de São Carlos, e a tia no centro de triagem de Ribeirão Bonito.

O delegado que está investigando o caso, Rogério Fakhany Vita, informou que os acusados não têm passagens pela polícia, e que o caso foi registrado como homicídio qualificado.

Reproduzido por MassapeCeara.Com|Créditos: Oeste Fuxico via Blasting News

BOLETIM POLICIAL VALE DO JAGUARIBE - 19/10/2017: Roubo de veiculo em Tabuleiro do Norte

Conforme informações da Policia Militar, nesta quarta-feira, dia 18 de outubro, no Sítio Barrinha, zona rural, por volta das 19h30min, foi ...