quarta-feira, 18 de outubro de 2017

OPERAÇÕES DA POLÍCIA CIVIL Casal preso por enganar centenas de turistas. As fraudes cometidas pelos suspeitos tinham como alvo turistas de outras cidades do Brasil e também estrangeiros.


O diretor adjunto do Departamento de Polícia Especializada (DPE), delegado Eduardo Tomé; e a titular da Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur), delegada Roberta Bruno, deram detalhes da prisão dos suspeitos
( Foto: Natinho Rodrigues )

Centenas de vítimas e um lucro aproximado no valor de R$ 300 mil. Tatilane Franco Alves, 28, e o companheiro Émerson Rodrigues Moreira, 29, conseguiram o montante publicando falsos anúncios de imóveis para turistas, que procuravam estadia na Beira-Mar ou na Praia de Iracema, em Fortaleza. O casal praticava o golpe desde novembro de 2016, mas foi alcançado pela Polícia Civil na manhã de ontem, quando foi preso em flagrante na Praia do Icaraí, em Caucaia, na Região Metropolitana.

 

À esquerda, Émerson Rodrigues Moreira e Tatilane ofereciam os apartamentos em sites de compra e venda virtuais; À direita, Tatilane Franco Alves foi detida junto com o companheiro. Os dois foram autuados pela Polícia Civil

A Polícia denominou a operação como 'Temporada'. Um mandado de prisão e outro de busca e apreensão contra a dupla foram cumpridos durante a ofensiva. No apartamento onde os suspeitos de estelionato moravam, os policiais conseguiram reter contratos fictícios, celulares, uma quantia em dinheiro e vinte cartões de contas bancárias em nome de diferentes titulares.

> Suspeito de sete fraudes é detido

Segundo o diretor adjunto do Departamento de Polícia Especializada (DPE), delegado Eduardo Tomé, o casal fazia as ofertas dos apartamentos para locação em sites de compra e venda. As publicações fraudulentas eram destinadas a turistas de outras cidades do Brasil e até estrangeiros, que demonstravam interesse em passar férias na Capital cearense.

"Eles ofertavam com um preço mais tentador, justamente para seduzir as vítimas e acertavam o pagamento prévio de 50% do valor do aluguel. Os interessados fechavam contrato e, na realidade, quando chegavam a Fortaleza, percebiam que era uma fraude. O apartamento não existia. O turista acabava se deparando com uma situação trágica, porque não poderia se hospedar no imóvel que alugou. Perdia o valor pago e voltava para a cidade de origem", disse Tomé.

Investigação

Foram necessários oito meses para que a investigação localizasse Tatilane Franco e Émerson Moreira. De acordo com a titular da Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur), delegada Roberta Bruno, o casal movimentava cerca de vinte contas correntes para receber os pagamentos.

"Eles nunca usam os nomes deles. Sempre utilizam terceiros. Eles dizem que são contas adquiridas no mercado negro, na Feira da Parangaba ou até diretamente com o próprio titular que vende a conta", detalha.

Ainda conforme Eduardo Tomé, uma parte dos cartões tinha, aparentemente, origem lícita, mas pode ser fruto de roubos ou furtos. "A investigação vai se aprofundar para verificar o grau de participação desses correntistas. Se efetivamente eles emprestaram a conta para que pudesse receber esse dinheiro depositado pelas vítimas ou se eles também eram ludibriados de alguma forma", ressaltou.

(Colaborou Felipe Mesquita)

© Diário do Nordeste

©Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.


Vagas de emprego (Limoeiro, Aracati e Russas). Dia: 12 de dezembro de 2017. Para mais informações comparecer ao Sine da sua cidade.

Vagas de emprego (Limoeiro, Aracati e Russas). Dia: 12 de dezembro de 2017. Para mais informações comparecer ao Sine da sua cidade. ...