domingo, 15 de outubro de 2017

SERTÃO CENTRAL Capturado: Policiais Civis de Quixadá prendem estuprador que abusava de menina de 12 anos.


O pescador Antonio Francisco ferreira de Sousa, vulgo “Mele” encontra-se preso
(foto: RC)

Agentes da Delegacia Regional de Polícia Civil de Quixadá retiraram de circulação neste domingo, 15, um estuprador que abusava sexualmente de uma adolescente de apenas 12 anos, no bairro Campo Novo, nessa cidade da região Central do Ceará. O acusado é pai de três filhos menores, e mesmo assim ainda teve a coragem de molestar uma menina com idade de seus filhos.

Os inspetores Cleves Thiago e Dangles Nascimento ao tomarem conhecido do crime, iniciaram as buscas para prender o acusado, momento em que tiveram êxito na captura do pescador Antonio Francisco Ferreira de Sousa, vulgo “Melé”, 41 anos.  Ele ainda tentou fugir a equipe, mas foi capturado minutos após estuprar a vítima. Relatam os policiais, que o acusado abusava a vítima há mais de um mês, com a sua prisão à sociedade se livra desse elemento.

Uma mulher de 20 anos, prima da vítima, relatou aos policiais que a menor mora na casa de seus avós, e que esta reside ao lado, mas passa boa parte do tempo na casa de sua avó por ela ser doente. Cita que conhece o pescador, tendo em vista que quase todo dia estava na casa de sua avó, onde jogava baralho com o companheiro de sua avó. Acrescenta que sempre percebeu que o acusado era enxerido, mas não tinha conhecimento de nenhum fato contra o mesmo.

Relata ainda a testemunha ter percebido a sua prima de 12 anos ora vítima, chorando por qualquer motivo. Neste domingo, estava lavando sua roupa por volta das 12h, quando uma pessoa não identificada informou que quase todo dia aquele pescador que vivia na casa de seus avós descia para uma casa abandonada, na mesma hora em que sua prima. Diante da situação, começou a procurar junto com a sua cunhada e ao chegarem nesta residência, estava o pescador com o seu órgão genital a mostra, imediatamente chamou o seu irmão e ao voltar viu o acusado indo embora e a vítima voltando em direção a sua casa.

Ao delegado plantonista, Dr. Mário Zangrandia, a menor que sofria abuso sexual relatou que estava na casa de sua avó e foi jogar o lixo perto de uma Chácara onde todos jogam o lixo, quando estava voltando encontrou a pessoa conhecida por “Melé” ou “Louro”, momento que foi puxada pelo braço e levada a força para esta Chácara abandonada. Lá chegando, ele tirou as suas e as roupas dele. O estuprador ficoupassando a mão nas suas partes íntimas, mas dando tempo penetrá-la, pois sua prima teria chegado na hora. A vítima denunciou ainda que o acusado já havia lhe abusado umas três vezes, sendo a primeira aproximadamente há um mês. Confessa que antes disso nunca tinha mantido relação sexual.

A menor acrescenta ainda em seu depoimento que era ameaçada pelo estuprador, caso falasse para alguém que estava sofrendo os abusos.


O pescador que está preso nega o crime (foto: RC)

O pescador Antonio Francisco ferreira de Sousa, vulgo “Melé”, 41 anos, se defende e criou uma história fictícia. Disse que tem esposa e é pai de três filhos menores, de 15, 14 e seis anos. Relata que hoje estava retornando para a sua casa, quando a menor o chamou para jogar baralho na casa do avô, antes de chegar resolveu fazer necessidades fisiológicas em uma chácara (próxima à casa da vítima). Defende-se ainda, alegando quando estava terminando de fazer suas necessidades quando outra garota parente da vítima gritou que ele estava namorando com a adolescente. Ele nega a acusação.

O delegado autuou o pescador com base no art. 217-A (estuprou de vulnerável), do Código penal Brasileiro. A pena é de reclusão, de 8 (oito) a 15 (quinze) anos, porém, ainda pode ser aplicado a majorante referente ao crime continuado, aumentando assim a pena do acusado.

A implantação da Delegacia 24 horas em Quixadá vem dando resultados satisfatórios, principalmente por ter uma equipe dedicada e que não mede esforços para retirar de circulação esse tipo de pessoa. Recentemente, também de plantão, os policiais prenderam um homem que vendia combustível de forma irregular.

Para se ter ideia, a taxa de elucidação de homicídios da Delegacia Regional que já era alta, alcançou o índice de 50% de resolução das autorias. A média nacional é de apenas 7%.

A população tem confiado na Polícia Civil de Quixadá e elogiado, sempre dentro da legalidade. A prisão desse estuprador é a prova da atuação dedicada.

 

Copyright © 2017 -Revista Central. Todos os direitos reservados / contatos@revistacentral.com.br / (88) 9 9909-9512