sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

AÇÃO CONJUNTA Policial civil é capturado utilizando veículo clonado. Conforme a Controladoria Geral de Disciplina (CGD), o escrivão era lotado no 7ºDP (Pirambu) e usava o veículo para fins particulares.


Conforme a Controladoria Geral de Disciplina (CGD), o escrivão era lotado no 7ºDP (Pirambu) e usava o veículo para fins particulares
( Foto: Cid Barbosa )

Um escrivão da Polícia Civil do Estado do Ceará foi preso, ontem, fazendo uso de um veículo clonado. A captura aconteceu em uma ação conjunta da Delegacia de Assuntos Internos (DAI) e do Departamento de Inteligência da Polícia Civil (DIP).

Conforme a Controladoria Geral de Disciplina (CGD), o escrivão era lotado no 7ºDP (Pirambu) e usava o veículo para fins particulares. A diligência aconteceu com base em informações repassada pelo DIP, após o proprietário do veículo ter recebido uma multa enquanto o carro estava apreendido na Delegacia.

Em nota, a Controladoria afirmou que foi determinada instauração de um Procedimento Disciplinar Administrativo (PAD) para a devida apuração. A CGD afirmou que não divulgaria o nome do servidor envolvido no caso, porque o inquérito é um procedimento sigiloso.

Investigações

No segundo semestre de 2017, operações tendo policiais como alvos têm se repetido. Por conta da constância das ações envolvendo servidores das Forças de Segurança Pública e do Sistema Penitenciário, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) e a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) formalizaram um termo de cooperação técnica, para investigar desvios de conduta.

A formalização aconteceu, na última quarta-feira (20) e, conforme o MPCE, tem objetivo de dar auxílio material e pessoal durante as operações. O titular da CGD, Rodrigo Bona, lembra que, anteriormente, a parceria já existia entre as duas instituições. "Nenhum órgão sozinho consegue trabalhar, porque o crime está organizado. No ano que vem vamos fazer mais parcerias e mais operações conjuntas. Essa parceria vai ser importante também para a capacitação. Vamos nos capacitar juntos na área de investigação", afirmou Bona.

Repressão

O procurador geral de Justiça, Plácido Rios, lembrou que há necessidade do Estado estar forte para reprimir a criminalidade e que é preciso também investimento relacionados às políticas públicas. "Temos muita honra de estar aqui firmando essa parceria pelo bem do Ceará. É assim que a gente cresce, com parceria, troca de informações e muita humildade", acrescenta Rios.

Atualmente, o MPCE conta com quatro células de investigação e Inteligência que estarão à disposição da Controladoria, são eles: Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), o Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal (Gaesf), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e a Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap).

Para assinatura do termo, segundo o MPCE, estiveram presentes o procurador geral de Justiça, promotores representantes dos órgãos de investigação e Inteligência e o assessor de Desenvolvimento Institucional (Asdin).

© Diário do Nordeste

©Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.