terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Prefeitura de Fortaleza e Polícia Federal assinam convênio e Guarda Municipal usará armas de fogo

O convênio entre as duas instituições foi assinado na manhã desta segunda-feira (4)

A Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) e a Superintendência da Polícia Federal no Ceará assinaram na manhã desta segunda-feira (4) um documento histórico para o combate à violência e o enfrentamento à criminalidade na Capital: a assinatura do convênio que vai permitir à Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) o uso de armas de fogo pelos seus integrantes.

A solenidade de assinatura do convênio foi presidida pelo vice-prefeito de Fortaleza e coordenador do Plano Municipal de Proteção Urbana (PMPU), Moroni Bing Torgan; pelo superintendente da PF no Ceará, delegado Delano Cerqueira Bunn; e pelo secretário municipal de Segurança Cidadão, Antônio Azevedo; além dos representantes da Guarda.

O convênio acontece no momento em que a Prefeitura de Fortaleza está prestes a dar início ao ousado plano de segurança pública que deverá beneficiar as áreas consideradas mais violentas da Capital. Bairros como Barra do Ceará, Jangurussu, Vila Velha, Canindezinho e Edson Queiroz vão receber um aparato de segurança mesclado por guardas municipais e policiais militares que estão concluindo os cursos de treinamento profissional.

Barra e Jangurussu

Esse efetivo vai atuar no entorno de uma célula de segurança que será representado por uma torre blindada e onde estarão servidores das duas instituições coordenando o monitoramento eletrônico das ruas que fazem parte do perímetro de cada célula. Policiais e guardas farão o patrulhamento à pé, em bicicletas, motos e viaturas. Para isso, estarão armados.

As duas primeiras células de segurança do PMPU devem ser inauguradas até o fim desde mês. A primeira vai estar instalada no bairro Jangurussu, ao lado do Cuca.  A segunda, ao lado da Areninha das Goiabeiras, na Barra do Ceará.

Os locais foram previamente escolhidos por Moroni Torgan e sua equipe de assessores com base em vários critérios, entre eles, as taxas de criminalidade. Além do aparato de segurança, nos locais  deverão ser proporcionados à população serviços sociais, como orientação médica para famílias com membros usuários de drogas, além da oferta de encaminhamento para cursos profissionalizantes e outros benefícios sociais. 

Jornalista Fernando Ribeiro Copyright 2016