sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

FERIDO EM CONFRONTO Tratamento de PM está parado. O cabo do Comando Tático Rural (Cotar) do BPChoque, Douglas Mota, está sofrendo há cerca de cinco meses, em decorrência de um ferimento à bala. O militar foi atingido durante um confronto armado com criminosos, no município de Boa Viagem, em 14 de agosto de 2017.


Douglas Mota foi baleado, em agosto do ano passado, durante ação da PM em Boa Viagem ( Foto: reprodução )

Na ocasião, o cabo, de 28 anos foi alvejado por um disparo na artéria femoral. Douglas foi internado no Instituto Doutor José Frota (IJF) e, em consequência do tempo prolongado em tratamento, teve a perna amputada.

Depois de uma ação feita por familiares e amigos, publicada pelo Diário do Nordeste em setembro do ano passado, o então soldado conseguiu uma prótese, por meio do Governo do Estado. Devido o processo de recuperação a que foi submetido, Douglas não pode colocar a prótese de imediato.

Durante a saga de hospital em hospital, o policial adquiriu uma bactéria, na região da clavícula e do esterno, e está sofrendo de uma infecção no osso, chamada de osteomielite. "Isso se deu pelo mau uso de um acesso central na artéria subclávia, bem como pelo tempo perdido para se ter um diagnóstico correto da doença", desabafa Janmilly Lorena de Castro, noiva de Douglas.

Segundo Janmilly, o noivo já tomou diversos antibióticos fortes, mas a bactéria resistiu aos medicamentos. "Já estamos há mais de 130 dias lutando para que ele volte a ter a saúde restabelecida", destaca.

A cirurgia para a remoção da bactéria, que pode se expandir e atingir algum órgão, precisa ser feita por um cirurgião torácico e um cirurgião plástico. Douglas não possui plano de saúde e, por isso, está enfrentando dificuldades de encontrar um profissional para a realização da cirurgia.

Só após a cirurgia, o cabo poderá realizar a inserção da prótese, que está reservada. "Estou indignada com o descaso que meu noivo vem sofrendo durante todo esse tempo", conclui Janmilly Castro.

© Diário do Nordeste

©Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.