Amigos de Plantão

Onde a notícia chega primeiro!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

sexta-feira, 6 de abril de 2018

TENSÃO: Decisão de Lula é de não se entregar em Curitiba; tropas militares estão de sobreaviso


(FOTO:AFP)
Heloisa Vasconcelos

 

O ex-presidente do PT Rui Falcão disse há pouco, ao Broadcast/Estadão, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não irá se entregar à Polícia Federal, em Curitiba, como determina a ordem de prisão expedida pelo juiz federal Sergio Moro na última quinta-feira, 5. A declaração de Falcão foi dada ao chegar à sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde Lula passou a noite e permanece com aliados e advogados de defesa nesta manhã.

 

O petista se encontra na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP) e pretende ficar lá durante o dia. A Polícia Federal monitora Lula desde a emissão do mandado e tropas militares da região estão de sobreaviso. O ex-presidente tem até as 17 horas desta sexta-feira para se entregar em Curitiba.

 

No Sindicato, aumenta, com o passar das horas, o número de militantes e membros de movimentos sociais ligados ao PT. Há pouco chegou uma comitiva do Central dos Movimentos Sociais com cerca de 50 pessoas portando bandeiras, cartazes e gritando palavras de ordem em apoio ao ex-presidente. A expectativa dos militantes é a de que cerca de 100 mil pessoas ocupem as imediações do Sindicato até o final do dia. 

 

Lula passou a noite na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, em São Paulo, local onde surgiu Partido dos Trabalhadores (PT). Na noite da última quinta-feira, Lula cogitava não se entregar à Polícia Federal e pedia que os militantes fizessem uma "resistência pacífica". Membros da militância do partido, parlamentares e integrantes de movimentos sindicais e sociais permanecem na sede. 

 

A defesa de Lula considera que o mandado de prisão foi precoce, já que os recursos ainda não tinham acabado. O advogado Cristiano Zanin Martins divulgou uma nota condenando o mandado de prisão emitido pelo juiz federal Sergio Moro contra o ex-presidente. “A defesa sequer foi intimada do acórdão que julgou os embargos de declaração em sessão de julgamento ocorrida no último dia 23/3”, critica. 

 

Nesta manhã, em entrevista telefônica ao jornal Folha de S. Paulo, o ex-presidente disse que estava tranquilo, bem disposto, e que já tinha feito seus exercícios matinais como faz todos os dias. 

 

 

Grupo de Comunicação O POVO
Copyright © 1997-2018
Todos os direitos reservados

Nenhum comentário:

Postar um comentário